Vídeo divulgado na Colômbia acusaria Equador de ligação com as Farc

O presidente do Equador, Rafael Correa. Foto: AFP
Image caption Na fita, comandante teria dito que Farc financiaram a campanha de Rafael Correa

Um vídeo retransmitido nesta sexta-feira por diversas emissoras de televisão na Colômbia supostamente mostraria as relações entre os rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e o governo do Equador.

Nas imagens – divulgadas pela agência de notícias AP e transmitidas, entre outras, pelos canais de televisão locais RCN e Caracol– Jorge Briceño Suárez, conhecido como “Mono Jojoy”, um dos comandantes das Farc, apareceria dizendo a outros rebeldes que a guerrilha teria ajudado a financiar a campanha eleitoral do presidente equatoriano, Rafael Correa.

“Ajuda em dólares para a campanha de Correa e conversas com seus assessores, inclusive alguns acordos, segundo documentos em nosso poder que se mostram comprometedores”, afirma o comandante no trecho divulgado da suposta fita, que seria datada de maio de 2008.

'Investigação'

O ministro das Relações Exteriores do Equador, Fander Falconí, anunciou, nesta sexta-feira, a criação de uma comissão para investigar “o suposto vídeo encontrado em um dos três computadores que capturaram durante a incursão militar que a Colômbia realizou em território equatoriano em 1º de março de 2008”.

Em nota divulgada no site da Presidência, o ministro da Segurança do Equador, Miguel Carvajal, negou que o governo do Equador tenha qualquer relação com as Farc.

Em entrevista ao jornal equatoriano El Comercio, Carvajal afirmou que “é preciso verificar se o vídeo não é uma montagem”.

A divulgação do vídeo pode aumentar as tensões entre os dois países.

Em 2008, Colômbia e Equador romperam as relações diplomáticas depois que tropas colombianas invadiram uma base rebelde dentro do território equatoriano e mataram 25 rebeldes das Farc.

*Colaborou Claudia Jardim, da BBC Brasil em Caracas

Notícias relacionadas