Governo da Venezuela assume controle temporário de duas companhias de café

Fiscais do governo venezuelano analisam empacotamento de produto (arquivo)
Image caption Em março, governo da Venezuela desapropriou moinho da Cargill

As autoridades da Venezuela assumiram o controle temporário de duas das maiores processadoras de café do país, a Fama de América e Café Madrid.

O Ministro do Comércio, Eduardo Saman, afirmou que as autoridades tomaram a medida por suspeitarem que os donos das processadoras estivessem contrabandeando o produto para fora do país, onde poderiam conseguir preços melhores.

Saman afirmou que, se o abuso for comprovado, o governo poderá confiscar as companhias. As duas empresas vão passar por uma auditoria para a investigação das supostas irregularidades.

Auditoria

O ministro da Agricultura e Terras, Elías Jaua, afirmou que o governo vai manter o controle das processadoras de café por três meses, para permitir a auditoria.

"Se, no final da auditoria, observarmos que houve o contrabando, compra e estocagem de mercadoria em alta demanda, práticas desleais e de monopólio, poderemos considerar a nacionalização das companhias", afirmou.

As empresas, por sua vez, afirmam que serão obrigadas a fechar as portas, pois estão com estoque baixo de café para processamento.

Ainda neste ano, o presidente Hugo Chávez ordenou a desapropriação de um moinho de arroz de propriedade de uma subsidiária da gigante alimentícia americana Cargill, acusando a companhia de não distribuir o arroz com os preços estabelecidos pelo governo.

Notícias relacionadas

Links de internet relacionados

A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos de internet