Aumenta número de mortos por peste pulmonar na China

Image caption Para OMS, isolamento geográfico da província facilita contenção

Um homem de 64 anos morreu em decorrência da chamada peste pulmonar no noroeste da China - a terceira morte desde o início do surto da doença na região, segundo informações divulgadas pelas autoridades chinesas nesta terça-feira.

A vítima era vizinha das outras duas pessoas que morreram da doença, em Ziketan, província de Qinghai.

A cidade de cerca de 10 mil habitantes foi totalmente isolada. A polícia montou postos de controle em vários bairros, e equipes médicas estão desinfetando a área e matando ratos e insetos.

Representantes do governo regional disseram à BBC que a situação está sob controle, e que escolas e escritórios estão funcionando normalmente.

Segundo a imprensa estatal chinesa, cerca de dez pessoas estão infectadas com a doença em Ziketan.

Ninguém está autorizado a sair da cidade e as autoridades estão tentando encontrar todas as pessoas que tiveram contato com o homem que morreu.

Praga

A peste pulmonar é causada pela mesma bactéria que provoca a peste bubônica, praga que matou cerca de 25 milhões de pessoas na Idade Média.

No entanto, enquanto a peste bubônica é transmitida por ratos e pulgas, a variante pulmonar também pode ser passada de pessoa para pessoa através da respiração.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a peste pneumônica tem uma taxa de mortalidade muito mais alta que a bubônica e é invariavelmente mortal quando não tratada.

Uma porta-voz da OMS na China elogiou a reação das autoridades ao surto.

“Quando se trata de surtos de peste, é sempre uma situação preocupante, mas parece que as autoridades têm a situação sob controle”, disse Vivian Tan.

“Esta área bastante remota e a população é muito pequena, e isso deve facilitar a contenção (da doença).”

Segundo a imprensa chinesa, este seria o terceiro caso de surto da doença em Qinghai em dez anos.

Em fevereiro, 55 equipes foram enviadas a diversas partes da província para monitorar e controlar a doença.

Notícias relacionadas

Links de internet relacionados

A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos de internet