Grã-Bretanha

Ronald Biggs é oficialmente libertado

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

O britânico Ronald Biggs, que participou do assalto a um trem pagador em 1963, foi libertado oficialmente da prisão nesta sexta-feira, informou o Ministério da Justiça da Grã-Bretanha. Ele recebeu a liberdade condicional devido ao seu estado de saúde.

Biggs tem um caso grave de pneumonia e teve a liberdade condicional aprovada pelo ministro da Justiça, Jack Straw, na quinta-feira, depois de ele ter sido informado de que há poucas chances de recuperação para o assaltante, que está preso na Grã-Bretanha desde 2001, após passar cerca de 30 anos foragido no Brasil.

Ronald Biggs, que completa 80 anos no sábado, está internado em um hospital do condado de Norfolk, leste da Inglaterra, e teria conseguido se comunicar, dizendo que está "exultante" com a decisão.

Mesmo após ser libertado, ele deve permanecer internado.

“Longa pena”

O filho dele, Michael Biggs, disse estar muito feliz que o ministro tenha decidido reverter sua decisão anterior sobre a liberdade condicional do pai, que foi recusada no mês passado.

"Meu pai já cumpriu uma longa pena de prisão. Comparando com as penas atuais, é patético que alguém ache que meu pai deva cumprir 30 anos de prisão por um assalto a trem", disse Michael, que fez sucesso no Brasil há mais de 20 anos como o Mike do grupo infantil Turma do Balão Mágico.

"A razão pela qual meu pai não recebeu a condicional é que ele não mostrou nenhum arrependimento. Meu pai mostrou remorso ao longo dos anos por ter cometido um crime. No entanto, ele não se arrependeu de ter vivido a vida que ele viveu, porque se ele tivesse feito as coisas de outra forma, ele não me teria como filho."

Michael Biggs disse que, atualmente, seu pai é incapaz de andar, ler, escrever, falar e que se alimenta através de um tubo.

Liberdade

No mês passado, o ministro Jack Straw disse que Biggs não deveria receber a liberdade condicional por que ele "não demonstrou arrependimento nenhum" por suas ações e "buscou escandalosamente a (cobertura da) imprensa".

Mas, na quinta-feira, Straw disse que Biggs estava claramente muito doente e que sua condição havia se deteriorado recentemente, culminando com sua volta ao hospital.

"A situação dele não deve melhorar. Esta é a razão pela qual eu estou concedendo o perdão a Biggs por questões médicas."

Com a libertação formal, os três funcionários da prisão de Norwich que acompanham Biggs no hospital foram dispensados.

Caso seu estado de saúde melhore, ele será transferido para uma casa de repouso no norte de Londres, perto da residência do filho.

Um comunicado do Ministério da Justiça britânico afirma, no entanto, que Biggs “estará sujeito às mesmas restrições de outros prisioneiros em condicional”.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.