A dois dias das eleições, Obama diz que guerra no Afeganistão é 'necessidade'

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, durante discurso nesta segunda-feira (AP, 17 de agosto)
Image caption Obama afirmou que Al-Qaeda planeja novos ataques contra os EUA

A apenas dois dias das eleições presidenciais no Afeganistão, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou, nesta segunda-feira, que a guerra no país é uma “necessidade” e não uma "escolha" para os americanos.

Durante um discurso para veteranos de guerra no Estado americano do Arizona, Obama disse que a rede extremista Al-Qaeda planeja novos ataques contra os Estados Unidos, o que torna o combate à rede e ao grupo Talebã “fundamental para a defesa dos EUA”.

“Nós nunca devemos nos esquecer: esta não é uma guerra que escolhemos, esta é uma guerra necessária. Aqueles que atacaram os EUA em 11 de setembro estão planejando fazê-lo novamente. Se os deixarmos livres, o Talebã criará um esconderijo ainda maior para que a Al-Qaeda planeje matar mais americanos. Então, esta não é apenas uma guerra que vale a pena ser lutada, isto é fundamental para a defesa de nosso povo”, disse Obama.

O presidente também defendeu a estratégia americana no Afeganistão e disse que os combates têm sido “violentos” e que, apesar dos avanços das tropas da coalizão, “dias difíceis virão”.

“A insurgência no Afeganistão não apareceu de um dia para o outro, nem será derrotada de um dia para o outro. Isto não será rápido nem fácil”, afirmou Obama.

O líder americano disse ainda que a estratégia para derrotar a Al-Qaeda e seus aliados não envolve apenas a força militar, mas também a diplomacia e estímulos para o desenvolvimento econômico e político.

Iraque

Obama também reafirmou a promessa de retirar todas as tropas americanas do Iraque até o final de 2011, o que fará com que as forças dos EUA possam se concentrar nos combates no Paquistão e Afeganistão.

“Nós transferimos o controle de todas as cidades e vilas para as forças de segurança iraquiana. A transferência de todas as responsabilidades de segurança para os iraquianos está acontecendo”, disse.

Obama ainda afirmou que, com a retirada das forces americanas, os iraquianos serão “testados” por extremistas que buscam “a divisão sectária” e “a morte de inocentes”.

“O povo iraquiano deve saber que os EUA manterão seus compromissos e o povo americano deve saber que continuaremos com nossa estratégia (...). Retiraremos todas as nossas tropas do Iraque no final de 2011 e. para os EUA, a guerra do Iraque irá acabar”.

Notícias relacionadas