Representantes das Coreias do Norte e Sul se encontram em Seul

O presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak
Image caption Myung-bak renovou o pedido de diálogo com o Norte na última semana

Representantes dos governos das Coreias do Norte e do Sul responsáveis por assuntos de unificação se encontraram, neste sábado, em Seul, no primeiro encontro entre autoridades do alto escalão dos países em quase dois anos.

O ministro da Unificação da Coreia do Sul, Hyun In-taek, se reuniu com um chefe do serviço de inteligência norte-coreano Kim Yang Gon.

Uma delegação diplomática da Coreia do Norte chegou a Seul na sexta-feira e visitou o local de luto do ex- presidente da Coreia do Sul Kim Dae-jung, que faleceu na terça-feira.

“Após me encontrar com tantas pessoas no Sul, senti uma necessidade imperativa de melhoria nas relações entre o Norte e o Sul”, disse o norte-coreano Yang Gon ao se encontrar com In-taek, segundo a agência de notícias sul-coreana Yonhap.

A agência afirma ainda que, ao ser questionado pelos repórteres que mensagem poderia deixar sobre o encontro com o representante norte-coreano, o ministro In-Taek teria respondido: “Sou responsável pelas relações entre as Coreias e acho que esse encontro por si só já é uma mensagem”.

Reaproximação

O ex-presidente Kim Dae-jung dedicou seu mandato a melhorar as relações entre as duas Coreias, que tecnicamente ainda estão em Guerra, desde o armistício da Guerra da Coreia, em 1953.

Kim passou grande parte de sua vida trabalhando por uma reunificação de seu país com a Coreia do Norte.

Ele recebeu o prêmio Nobel da Paz de 2000 por sua política de aproximação com o regime norte-coreano durante sua Presidência.

Sua política levou a uma distensão das relações entre as duas Coreias, com o estabelecimento de acordos comerciais e a permissão para o reencontro de famílias separadas entre o sul e o norte.

A visita oficial dos representantes do Norte nesta semana é a primeira desde que o presidente Lee Myung-bak assumiu o poder, em 2008.

Na semana passada, Myung-bak havia renovado o pedido de diálogo com o governo norte-coreano para tentar reduzir a tensão entre os dois países.

Em um discurso que marcou o aniversário da liberação da península do domínio japonês, Myung-bak disse Seul se comprometeria em ajudar financeiramente a Coreia do Norte caso o governo norte-coreano suspenda o programa nuclear do país.

Notícias relacionadas