Brasil suspende acordo de isenção de visto com Honduras

O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya (AP, arquivo)
Image caption Medida visa pressionar pela volta de Zelaya ao poder

O Ministério das Relações Exteriores anunciou nesta quinta-feira que o governo brasileiro vai suspender temporariamente o acordo de isenção de vistos com Honduras, em protesto contra a deposição do presidente eleito do país, Manuel Zelaya, em 28 de junho.

De acordo com comunicado divulgado pelo Itamaraty, a partir do próximo dia 5 de setembro estará suspensa "a vigência do 'Acordo para a Isenção de Vistos em Passaportes Diplomáticos, Oficiais ou de Serviço' e do 'Acordo Sobre Isenção Parcial de Vistos em Passaportes Comuns'".

Com a suspensão dos acordos, que haviam sido assinados pelos dois governos em 2004, os portadores de passaportes hondurenhos precisarão de visto para entrar no Brasil.

Segundo o Itamaraty, no entanto, a medida não afeta a situação dos portadores de passaportes hondurenhos que já estejam em situação regular no país.

'Apoio'

Ainda de acordo com o ministério, a suspensão dos acordos foi informada à chanceler do governo deposto de Honduras, Patricia Rodas, no último dia 1º de setembro.

Ela teria agradecido a medida "por ter considerado mais uma mostra de apoio do governo brasileiro à busca da restauração da ordem democrática em Honduras".

No comunicado em que anuncia a decisão, o Itamaraty afirma que a medida é baseada "nas resoluções da OEA (Organização dos Estados Americanos) e da Organização das Nações Unidas no sentido de não reconhecer o governo 'de facto' instalado naquele país".

Na semana passada, o governo dos Estados Unidos anunciou a suspensão da emissão de vistos para os hondurenhos como medida de pressão para o retorno do presidente deposto, Manuel Zelaya, à Presidência.

Leia também na BBC Brasil: EUA suspendem vistos para hondurenhos para pressionar Micheletti

Notícias relacionadas