Senado do Uruguai aprova adoção por casais homossexuais

Casal homossexual
Image caption O Uruguai já aprovou a união civil entre homossexuais

O Senado uruguaio aprovou, nesta quarta-feira, um projeto de lei que permite a adoção de crianças por casais homossexuais.

O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, deve assinar a nova legislação nos próximos dias. Ele já demonstrou seu apoio à medida.

Segundo o jornal La Nación, entre os 23 senadores presentes na votação, 17 votaram a favor da medida, aprovada pelos senadores do partido governista Frente Amplio e do de oposição Partido Colorado. Os senadores do Partido Nacional teriam votado contra a proposta.

Com a assinatura do presidente, Uruguai se tornará o primeiro país da América Latina a autorizar a adoção por casais homossexuais.

O governo de Tabaré Vazquez – o primeiro líder de esquerda a assumir a Presidência do Uruguai – já havia aprovado outras medidas de ampliação dos direitos dos homossexuais.

Em maio, o governo aprovou o acesso dos homossexuais às escolas militares do país. Em 2008, o país já havia aprovado a união civil entre homossexuais.

Críticas

Apesar das novas legislações, a proposta sobre a adoção causou polêmica no país.

Em entrevista ao canal de televisão Univision, o arcebispo de Montevidéu, Nicolas Cotugno, afirmou que “o tema da adoção de crianças por homossexuais se refere essencialmente à natureza humana e consequentemente se trata de ir contra os direitos fundamentais do ser humano enquanto pessoa”.

O porta-voz da ONG Coordinadora Nacional por la Vida, Nestor Martinez também criticou a medida em entrevista ao jornal uruguaio El Pais, na qual afirmou que o projeto de lei “constitui um retrocesso e um atentado aos direitos das crianças”.

Notícias relacionadas