Jornais criticam Maradona por 'baixo calão' e 'rancor' após classificação

Maradona comemora após vitória sobre o Uruguai
Image caption Técnico disse que 'tem memória' e 'não esquecerá' críticas

A reação do técnico argentino, Diego Maradona, contra jornalistas, após a vitória sobre o Uruguai que assegurou a classificação para a Copa do Mundo, é destaque nesta quinta-feira na imprensa em língua espanhola.

O baixo calão dos termos usados por Maradona suscitou críticas de que o comandante da equipe argentina festejou com "rancor", perdeu o controle como "a garota do (filme) Exorcista", e deu um show "vergonhoso".

"Chupem! Chupem todos!", esbravejava Maradona e integrantes da comissão técnica, ao fim da partida, em uma ira dirigida especificamente contra jornalistas, que o criticaram durante a sofrida campanha pela classificação.

"Foi como se a alegria pela classificação para o Mundial ficasse em segundo plano", notou o jornal argentino <i>La Nación</i>, para quem Maradona "se consumiu em seu próprio rancor".

Para o <i>Clarín</i> a "atitude revanchista" de Maradona demonstra "pouca autocrítica". "(Maradona) parece não levar em conta a derrota por 6-1 na altitude contra a Bolívia e os tropeções contra o Brasil e o Paraguai", afirma o jornal.

A reportagem do diário argentino diz que, apesar de as críticas contra o seu "péssimo rendimento nas eliminatórias" – a Argentina se classificou em quarto lugar no grupo –, o "show" de Maradona foi "triste", "desatinado" e "vergonhoso".

<b>Reação</b>

A reação do técnico começou logo após o apito final, seis minutos após o gol de Bolatti, que aproveitou a bola sobrando na grande área e marcou o gol da classificação argentina.

Depois, na entrevista coletiva, o técnico repetiu diversas vezes que dedicava a vitória "ao povo argentino, e só a eles", e não aos jornalistas, que o criticaram durante toda a conturbada classificação para o mundial.

"Para os que não acreditaram nessa seleção, para os que me trataram como lixo. E com perdão às senhoras. Que chupem. E que continuem chupando. Vocês que me trataram como me trataram… continuem mamando", afirmou.

Minutos depois, o técnico interrompeu um jornalista do canal América que começava a dirigir-lhe uma pergunta. "Você também. Você também tomou dentro", afirmou.

Comentado a reação de Maradona, o jornal espanhol <i>El Mundo</i> não economizou palavras para criticar o "vergonhoso espetáculo" do treinador.

"Já não crucificarão a D10s (como o jornal apelida Maradona) por não ir ao Mundial, mas talvez muitos gostassem de crucificá-lo por respeito ao futebol. Ou melhor, por sua demagogia de baixo calão e pelo antifutebol doentio que se derramou sob seu comando no verde ‘sacrossanto’ do estádio Centenário de Montevidéu", diz o artigo.

Para o <i>El Mundo</i>, Maradona parecia "a menina do filme O Exorcista” ao “empunhar esse fuzil que tem na língua".

"Que Deus o perdoe… uma vez mais."

Notícias relacionadas