Lula diz confiar na palavra de Uribe sobre uso de bases pelos EUA

Uribe e Lula em São Paulo
Image caption Uribe e Lula encerraram encontro de empresários dos dois países em SP

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira, em São Paulo, que confia nas garantias do presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, de que o uso de bases militares do país pelos Estados Unidos se limitará ao território colombiano.

"Tanto o presidente Uribe quanto o (presidente americano, Barack) Obama dizem que as bases são para cuidar dos problemas internos da Colômbia", disse Lula, pouco depois de uma reunião com o presidente colombiano na capital paulista.

"O Brasil não tem por que ficar incomodado. Eu confio na palavra do presidente Uribe e confio na palavra do presidente Obama", acrescentou o presidente. "Aqui, no Brasil, nós vamos aprender um dia que se nós respeitarmos a soberania de cada país, tudo vai ser melhor."

Em agosto, durante a negociação do acordo militar entre Estados Unidos e Colômbia, o governo brasileiro chegou a manifestar "preocupação" com o assunto e pediu que os detalhes sobre o uso das bases na região por forças americanas fossem discutidos com mais "transparência".

A Colômbia afirma que o acordo com os Estados Unidos não representa uma perda de "soberania" e diz que o objetivo é reforçar, com a ajuda americana, o combate ao narcotráfico.

"O Brasil sabe de nossos esforços para combater o narcotráfico", disse Uribe, após o encontro com Lula em São Paulo. "Temos conversado para que haja mais confiança. Temos instituições fortes e uma Justiça independente e autônoma."

Clima

Durante a entrevista coletiva conjunta, Lula afirmou que propôs a Uribe que os países que têm fronteiras na Amazônia se reúnam no dia 26 de novembro, em Manaus, para discutir uma posição regional para a reunião sobre mudanças climáticas que será realizada em Copenhague, em dezembro.

"Eu penso que é um momento de ouro para a gente falar sobre a Amazônia, quando se discutir a questão do clima em Copenhague", afirmou Lula. "Antes disso, os nossos ministros vão trabalhar e tentar construir uma proposta que unifique os países amazônicos."

A reunião da Conferência das Partes (COP-15), marcada para dezembro na capital dinamarquesa, tem como objetivo a formulação de um novo compromisso sobre o clima, dando continuidade ao Protocolo de Kyoto, que vence em 2012.

Os presidentes de Brasil e Colômbia também foram questionados sobre temas domésticos durante a coletiva em São Paulo. Lula afirmou que seu governo está disposto a fazer "o que for necessário" para ajudar o Rio de Janeiro no combate aos responsáveis pela nova onda de violência na cidade.

Leia mais na BBC Brasil sobre a reação de Lula à nova onda de violência no Rio

Já Uribe foi indagado sobre a possibilidade de disputar um terceiro mandato nas próximas eleições presidenciais colombianas, em 2010.

Para o presidente ser candidato novamente, seria preciso mudar a Constituição do país, que permite apenas uma reeleição. Um projeto de referendo que pode permitir a candidatura de Uribe já foi aprovado pelo Congresso colombiano, mas a proposta ainda será analisada pela Justiça.

"Isso depende basicamente de três elementos: primeiro, do Tribunal Constitucional (que avalia a proposta de referendo), segundo, do povo colombiano que têm de ir às urnas, e terceiro, da mão de Deus", afirmou o presidente colombiano em São Paulo.

Apesar de se dizer preocupado em não dar sinais de “apego ao poder”, Uribe disse que "não se deve colocar em dúvida a solidez institucional" da Colômbia e negou que o debate sobre a possibilidade de mais uma reeleição prejudique a imagem do país no exterior.

Notícias relacionadas