Médico é condenado por dar abortivos a amante grávida

Edward Erin
Image caption Erin, casado e com dois filhos, já foi suspenso da medicina

Um médico de Londres foi condenado nesta segunda-feira por tentar envenenar sua amante na tentativa de fazê-la abortar.

O médico Edward Erin, de 44 anos, colocou substâncias químicas na bebida de sua amante, Bella Prowse, de 33 anos, depois que ela disse que estava grávida e que não faria um aborto.

Erin, que é casado e pai dois filhos, trabalhava no hospital de Paddington, no oeste de Londres. No julgamento, que aconteceu nesta segunda-feira, ele negou as acusações.

Prowse, que trabalhava como secretária do médico, não foi afetada pelas drogas e deu à luz um bebê saudável em setembro do ano passado.

Pó amarelo

O júri condenou o médico por tentativa de envenenamento duas vezes – em uma taça de café da rede Starbucks e em um copo de suco de laranja.

Testes revelaram a presença de substâncias que induzem ao aborto na urina de Bella Prowse e no copo e na taça dados a ela por Erin. O médico foi inocentado de uma terceira acusação de envenenamento, em uma xícara de chá.

Image caption Bella Prowse suspeitou do amante quando encontrou pó na sua bebida

Prowse chorou ao ouvir a condenação de Erin nesta segunda-feira.

"Eu gostaria de aproveitar esta oportunidade para agradecer à polícia metropolitana e à promotoria", disse ela.

O médico não demonstrou nenhuma emoção ao ouvir o veredicto. A sentença será dada no próximo mês. Antes do julgamento, Erin, que é natural do País de Gales, já havia sido proibido de tratar pacientes pelo conselho de medicina britânico.

Erin e Prowse começaram a ter um caso em uma festa de Natal em 2007. Quando Prowse engravidou, o médico pediu desesperadamente que ela abortasse.

Ela disse que suspeitou que Erin estava tentando envenená-la depois de encontrar um pó amarelo em um chá preparado pelo médico, em janeiro de 2008. Ela então levou o caso à polícia.

O inspetor de polícia Mickey Gallagher, que cuidou do caso, disse que é raro mulheres levarem a um tribunal este tipo de caso.

"Bella Prowse é muito corajosa. Este [caso] requer muita coragem moral. Eu tenho muita admiração por ela."

Notícias relacionadas