Equipes de resgate correm contra o relógio no Haiti

Dinamarquês Jens Christensen é retirado dos escombros da sede da ONU em Porto Príncipe
Image caption Dinamarquês foi retirado dos escombros da sede da missão da ONU

Equipes de resgate de várias partes do mundo continuam nesta segunda-feira trabalhando numa corrida contra o relógio para encontrar novos sobreviventes do terremoto que devastou o Haiti na última terça-feira.

Apesar de as esperanças de se encontrar mais sobreviventes sob os escombros serem menores a cada dia que passa, uma porta-voz da ONU disse que ainda será possível encontrar sobreviventes nesta segunda-feira, seis dias após o tremor.

No domingo, ao menos seis pessoas foram encontradas com vida sob os escombros de edifícios destruídos pelo terremoto.

Um dos resgatados foi um funcionário dinamarquês da missão de paz da ONU no Haiti, a Minustah.

Jens Christensen foi retirado dos escombros da sede destruída da missão em Porto Príncipe apenas 15 minutos após uma visita ao local do secretário-geral da organização, Ban Ki-Moon.

Supermercado

Outras cinco pessoas foram retiradas com vida dos escombros de um supermercado na capital, entre elas um menino de sete anos.

O grupo teria sobrevivido por mais de 120 horas sob os escombros graças ao acesso que tiveram à comida do supermercado.

A operação de resgate foi iniciada após o recebimento de uma mensagem por celular enviada às Nações Unidas. A mensagem dizia que eles estavam presos dentro do mercado próximo à seção de frutas, carnes e comidas congeladas.

Os sobreviventes foram localizados e resgatados entre os destroços do prédio de cinco andares graças à ajuda de equipamentos especiais e de cães farejadores.

Braço amputado

Image caption Mulher de 22 anos foi resgatada dos escombros de uma loja na capital

Segundo o relato da agência de notícias Associated Press, uma equipe dos Estados Unidos também teria ajudado a resgatar no domingo uma dominicana de 16 anos que teria ficado presa sob os escombros de um pequeno hotel de três andares no centro de Porto Príncipe.

Uma mulher de 22 anos também foi resgatada sob os escombros de lojas destruídas no centro da capital, segundo a agência France Presse.

Ela teria sido retirada consciente dos escombros, mas seu braço direito, esmagado por um pedaço de concreto, teve que ser amputado.

Notícias relacionadas