ONU aprova envio de mais 3,5 mil soldados e policiais ao Haiti

População invade caminhão com ajuda humanitária da ONU
Image caption ONU está tendo dificuldade em distribuir ajuda humanitária

Os 15 integrantes, do Conselho de Segurança (CS) da ONU, incluindo o Brasil, aprovaram por unanimidade nesta terça-feira o envio de outros 3,5 mil soldados e policiais ao Haiti para ajudar a proteger os comboios humanitários.

O órgão da ONU, “reconhecendo as duras circunstancias e a necessidade urgente de resposta”, atendeu ao pedido feito na segunda-feira pelo secretário Geral da ONU, Ban Ki-moon.

Os Estados Unidos escreveram o esboço da declaração que decidiu que a missão da ONU no país, a Minustah, “terá de um efetivo militar de 8.940 soldados de todas as patentes e uma força policial de 3.711 policiais”.

Os soldados e policiais a mais devem permanecer no Haiti por seis meses.

Leia também na BBC Brasil: EUA começam a entregar ajuda ao Haiti pelo ar

Balanço

O Escritório para a Coordenação de Assuntos Humanitários da ONU (Ocha, na sigla em inglês), informou nesta terça-feira que mais de 90 pessoas já foram resgatadas dos escombros no Haiti.

Segundo a entidade, 52 equipes de resgate atuam atualmente no país, incluindo 1,82 mil membros e 175 cães treinados para a função.

No que diz respeito à assistência médica, a Organização Mundial da Saúde (OMS) revela que na segunda-feira o país contava com oito centros de atendimento funcionando.

Hospitais de campanha cedidos por Brasil, Argentina, Israel, Rússia e Nicarágua estão em funcionamento.

A ONU informou que alguns centros médicos continuam atendendo acima de suas capacidades e que muitos pacientes preferem ficar no hospital após tratados, já que não têm para onde ir.

A organização humanitária Médico Sem Fronteiras disse que até o dia 18 já havia atendido mais de 3 mil vítimas do terremoto, sendo que 400 delas passaram por cirurgias.

Os problemas mais comuns foram fraturas, queimaduras, traumatismos cranianos, gangrenas e partos de risco.

Notícias relacionadas