Japão pagará quase US$ 1 milhão para 'alugar' pandas chineses

Imagem de arquivo mostra dois pandas gigantes chineses (AFP, 24 de janeiro de 2009)
Image caption Dinheiro deve ser usado para preservação de pandas na China

O zoológico Ueno, em Tóquio, Japão, anunciou na última sexta-feira que pagará quase US$ 1 milhão por ano para “alugar” dois pandas chineses, que devem ser colocados em exposição a partir do ano que vem.

Os dois animais irão substituir o panda gigante Ling Ling, que morreu em 2008, ao 22 anos de idade.

O anúncio do aluguel dos dois pandas foi feito pelo governador de Tóquio, Shintaro Ishihara, que admitiu que o preço a ser pago - US$ 950 mil - é alto, mas afirmou ter conseguido um desconto.

“O preço do aluguel não é baixo. Nós pedimos um desconto e eles cortaram (o preço) em cerca de US$ 50 mil”, disse o governador, segundo a agência de notícias japonesa Kyodo.

Ishihara afirmou que estava recebendo “grandes pedidos” do povo de Tóquio para que o zoológico Ueno, o mais antigo do país, voltasse a ter pandas em exposição.

“Pandas estão em risco (de extinção) e todos os amam”, disse.

Ainda segundo o governador, o dinheiro será usado em projetos de preservação de pandas na China e para a reconstrução de uma reserva que foi destruída pelo terremoto de 2008 na Província chinesa de Sichuan.

Comoção

A morte do panda Ling Ling, em decorrência de problemas no coração, causou comoção no Japão, fazendo com que pessoas de todo o país enviassem presentes e mensagens de condolência ao zoológico.

Uma foto de Ling Ling foi colocada em sua jaula, junto com oferendas de sua comida favorita, brotos de bambu.

A China costuma emprestar pandas a outros países como gesto de aproximação ou para programas de reprodução, mas sempre exige que os animais e seus filhotes sejam devolvidos em algum momento.

Notícias relacionadas