Europa

Colisão de trens na Bélgica deixa pelo menos 18 mortos

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

Pelo menos 18 pessoas morreram na colisão de dois trens de passageiros que bateram de frente nesta segunda-feira perto da capital da Bélgica, Bruxelas.

A colisão ocorreu no horário de rush da manhã, em Halle, a sudoeste de Bruxelas. Relatos indicam que o número de mortos ainda pode aumentar.

"A devastação é enorme", disse uma autoridade belga, enquanto os passageiros eram retirados dos vagões destruídos.

Os trens se chocaram por volta das 8h30 no horário local (5h30 em Brasília), e a imprensa belga diz que a neve pode ter sido um dos fatores que provocaram o acidente.

O governador da província de Brabant, Lodewijk De Witte, afirmou que um dos trens pode não ter obedecido um sinal de pare na ferrovia.

O governo belga anunciou ainda a abertura de uma investigação sobre o que teria causado o acidente. Segundo o porta-voz do Departamento de Ferrovias do governo belga, Jochen Goovaerts, a agência espera o resultado da investigação para comentar as possíveis causas do acidente.

Funcionários da Companhia Feroviária Nacional da Bélgica chegaram a dizer à emissora de rádio VRT que 25 pessoas morreram no choque entre os dois trens. O prefeito de Halle, Dirk Pieters, afirmou que foram 20 os mortos, mas apenas as mortes de 15 homens e três mulheres foram confirmadas.

Os serviços ferroviários na região, inclusive a linha de alta velocidade entre Paris e Bruxelas, foram suspensos.

Investigação

Equipes de emergência afirmam que a colisão causou grandes danos nas linhas de transmissão de energia elétrica da estação de Buizingen, onde ocorreu a tragédia.

A operadora dos trilhos, a Infrabel, disse que foi aberta uma investigação para apurar as causas da colisão. Segundo a empresa, um dos trens seguia de Leuven para Braine-le-Comte - e o outro, de Quievrain para Liege.

Em entrevista à agência de notícias Associated Press, um porta-voz da Procuradoria Pública afirmou que a remoção completa dos vagãos destruídos pelo acidente pode levar até três dias.

Por essa razão, a maioria dos serviços ferroviários da região permanecerão suspensos pelo menos até esta terça-feira.

O rei Albert II visitou o local do acidente nesta segunda-feira ao lado do primeiro-ministro belga, Yves Leterme.

Este foi o acidente ferroviário mais grave na Bélgica desde 2001, quando oito pessoas morreram e 12 ficaram feridas na colisão frontal de dois trens no subúrbio de Bruxelas. Na ocasião, diferenças no idioma - francês e flamengo - entre os dois funcionários responsáveis pela sinalização teriam contribuído para o acidente.

Em 2008, mais de 40 pessoas ficaram feridas quando um trem de passageiros que viajava na direção errada chocou-se com um trem de carga na região central da Bélgica.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.