Ciência

Pesquisa desvenda 'linguagem secreta' dos elefantes

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

Pesquisadores do zoológico de San Diego, na Califórnia, estão estudando o que chamam de "linguagem secreta" dos elefantes.

Os pesquisadores estão monitorando formas de comunicação entre os animais que não podem ser captadas pelo ouvido humano.

Enquanto o chamado dos elefantes, potente como uma trombeta, soa familiar para muita gente, menos conhecidos são os grunhidos que eles emitem.

Esses sons são apenas parcialmente audíveis – dois terços das ondas são emitidas em frequências que não podem ser captadas por nós.

Na pesquisa que está sendo conduzida no Zoológico de San Diego, microfones sensíveis a essas baixas frequências e aparelhos de localização via satélite foram acoplados a oito elefantes fêmeas.

Dessa maneira, os cientistas acreditam poder relacionar os sons que os elefantes emitem com a atividade que estão realizando naquele momento.

"Estamos entusiasmados em aprender mais sobre a hierarquia entre as fêmeas e entender melhor como elas interagem umas com as outras", disse à BBC o coordenador do projeto, Matt Anderson.

Aviso

Entre os usos da "linguagem dos elefantes" está o anúncio, por uma fêmea prenhe, de que está prestes a dar cria.

"Após um longo período de gestação, de cerca de dois anos, nos últimos 12 dias percebemos uma manipulação na parte mais grave do grunhido, a parte que não podemos escutar", disse Anderson.

"Achamos que isto é para anunciar ao resto da manada a iminência de um filhote."

A equipe também acredita que outra finalidade seria prevenir sobre a possível presença de predadores.

"Pode-se pensar que um filhote de cerca de 130 quilos não estaria tão vulnerável quanto outras espécies, mas uma alcateia de hienas é uma grande ameaça no mundo selvagem", afirmou o pesquisador.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.