China

China abre exposição mundial com festa de luzes

A cerimônia de abertura contou com fogos e a presença de 2,3 mil artistas

A exposição mundial Expo Xangai foi aberta nesta sexta-feira na cidade chinesa com um show deslumbrante de luzes e fogos de artifício.

A cerimônia de abertura, com a presença de chefes de Estado, teve a participação de cerca de 2,3 mil artistas de todo o mundo.

A China espera cerca de 70 milhões de visitantes, chineses em sua maioria, durante os seis meses de exposição.

Mais de 240 países, regiões e organizações internacionais irão mostrar suas diferentes culturas no evento, que tem como tema o desenvolvimento sustentável.

A imprensa local afirma que o evento custou US$ 58 bilhões, mais do que o custo da Olimpíada de Pequim.

Críticas

A organização de defesa dos direitos humanos Anistia Internacional criticou o slogan da exposição, “cidade melhor, vida melhor com dança e música”.

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

A organização afirma que, desde o ano 2000, 18 mil famílias foram desalojadas para a construção do local da Expo.

O correspondente da BBC em Xangai Chris Hogg diz que a China vem tentando impedir que dissidentes divulgam o que dizem ser abusos da lei relacionados à exposição.

Xangai reforçou a segurança para o evento, mobilizando mais de 8 mil policiais que devem juntar-se aos cerca de 46 mil integrantes das Forças de Segurança da cidade, de acordo com a imprensa chinesa.

Hogg diz que a Expo Xangai é uma oportunidade outros países tentarem ganhar a simpatia do povo chinês.

Analistas dizem que a China espera recriar na exposição o charme de um evento internacional que era visto tradicionalmente como o de maior prestígio no mundo, antes da ascensão de eventos esportivos como as Olimpíadas e a Copa do Mundo.

A primeira feira mundial aconteceu em Londres em 1851. A Expo Paris de 1889 viu a criação da Torre Eiffel, considerada na época um tributo aos desenvolvimentos nas áreas da ciência e engenharia e que transformou-se no símbolo da cidade.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.