2006: Itália é tetra em cima da França

Na segunda Copa sediada na Alemanha, o Brasil decepcionou, não correspondeu ao grande otimismo da torcida brasileira e foi mais uma vez eliminado pela França.

Na final, o craque francês Zinedine Zidane reagiu à provocação do zagueiro italiano Materazzi, agrediu o zagueiro com uma cabeçada no peito e foi expulso, desfalcando seu time durante a prorrogação.

Depois de um empate de 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação, a decisão foi para a cobrança de pênaltis.

Pela segunda vez a Copa foi decidida nos pênaltis, e como em 94, com participação da seleção italiana.

Só que diferentemente de 1994 quando foi derrotada pelo Brasil, desta vez a Squadra Azzurra saiu vitoriosa, marcando os 5 pênaltis cobrados. O atacante francês Trezeguet desperdiçou sua cobrança garantindo a vitória da Itália.

A Itália conseguia seu tetracampeonato e seguia na cola do Brasil em números de títulos.

Brasil, otimismo e apatia

Depois do sucesso em 2002 com a conquista do pentacampeonato mundial, a torcida brasileira passou a acreditar na seleção com um otimismo comparável ao de 1966 na Copa da Inglaterra.

Como em 66, o otimismo da torcida não se transformou em realidade. Apesar de contar com grandes craques em atividade nos gramados europeus, como Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Roberto Carlos, Lúcio e Cafu, a seleção de Parreira não demonstrou em campo competitividade suficiente para conquistar o tão esperado hexa.

Na primeira fase, o Brasil derrotou os três adversários sem grandes dificuldades. Depois da estreia quando venceu a Croacia por 1 a 0, o Brasil venceu a Austrália por 2 a 0 e goleou o Japão por 4 a 1.

Nas oitavas-de-final, a seleção brasileira venceu Gana por 3 a 0, com dois gols de Ronaldo.

Mas sem mostrar um futebol que impressionasse, os brasileiros foram dominados e derrotados pelos franceses por 1 a 0 na partida válida pelas quartas-de-final. O gol francês foi marcado pelo atacante Thierry Henry completando sem dificuldade uma falta cobrada por Zidane.

O lateral Roberto Carlos foi acusado de displicência no gol francês. Vídeo-tapes do gol mostram o lateral ajeitando a meia na entrada da área no momento em que deveria acompanhar a corrida de Henry na direção do gol.

Ronaldinho Gaúcho foi outro severamente criticado pelo pouco empenho demonstrado na Copa. Assim como Ronaldo, que apesar dos 3 gols marcados não repetiu a boa atuação da Copa de 2002.

A torcida e a imprensa também não pouparam das críticas o treinador Carlos Alberto Parreira e a Comissão Técnica da CBF. O técnico foi acusado de privilegiar um esquema defensivo e de não ter ousadia na derrota contra os franceses.

A Comissão Técnica foi criticada por permitir que jogadores deixassem a concentração e fossem se divertir em clubes noturnos durante a folga entre os jogos.

Vinte e três dias após o encerramento da Copa de 2006, a CBF anunciou que o ex-meio-campo Dunga assumiria o comando da seleção.

Recordes brasileiros

Do fracasso em campo, sobraram para o Brasil os recordes batidos neste Mundial:

Com o segundo gol marcado contra Gana, Ronaldo se tornou o maior artilheiro de todos os tempos dos Mundiais com 15 gols marcados em três torneios.

A escolha de Parreira para o comando da seleção permitiu ao técnico se igualar ao sérvio Bora Milutinovic como recordista de participações na competição, com cinco Mundiais cada um.

O lateral Cafu conseguiu bater o recorde nacional de participações em Copa. Cafu defendeu a seleção em 18 partidas de Mundiais, duas a mais do que Dunga e Taffarel.

Grupo A

Alemanha 4 x 2 Costa Rica Polônia 0 x 2 Equador Alemanha 1 x 0 Polônia Equador 3 x 0 Costa Rica Equador 0 x 3 Alemanha Costa Rica 1 x 2 Polônia

Grupo B

Inglaterra 1 x 0 Paraguai Trinidade & Tobago 0 x 0 Suécia Suécia 1 x 0 Paraguai Inglaterra 2 x 0 Trinidade & Tobago Suécia 2 x 2 Inglaterra Paraguai 2 x 0 Trinidade & Tobago

Grupo C

Argentina 2 x 0 Costa do Marfim Sérvia & Montenegro 0 x 1 Holanda Argentina 6 x 0 Sérvia & Montenegro Holanda 2 x 1 Costa do Marfim Holanda 0 x0 Argentina Costa do Marfim 3 x 2 Sérvia & Montenegro

Grupo D

México 3 x 1 Irã Angola 0 x 1 Portugal México 0 x 0 Angola Portugal 2 x 0 Irã Portugal 2 x 1 México Irã 1 x 1 Angola

Grupo E

Itália 2 x 0 Gana Estados Unidos 0 x 3 República Tcheca Itália 1 x 1 Estados Unidos República Tcheca 0 x 2 Gana República Tcheca 0 x 2 Itália Gana 2 x 1 Estados Unidos

Grupo F

Austrália 3 x 1 Japão Brasil 1 x 0 Croácia Brasil 2 x 0 Austrália Japão 0 x 0 Croácia Japão 1 x 4 Brasil Croácia 2 x 2 Austrália

Grupo G

França 0 x 0 Suíça Coreia do Sul 2 x 1 Togo França 1 x 1 Coreia do Sul Togo 0 x 2 Suíça Togo 0 x 2 França Suíça 2 x 0 Coreia do Sul

Grupo H

Espanha 4 x 0 Ucrânia Tunísia 2 x 2 Arábia Saudita Espanha 3 x 1 Tunísia Arábia Saudita 0 x 4 Ucrânia Arábia Saudita 0 x 1 Espanha Ucrânia 1 x 0 Tunísia

Oitavas-de-final

Alemanha 2 x 0 Suécia Argentina 2 x 1 México Itália 1 x 0 Austrália Suíça 0 x 0 Ucrânia (Ucrânia 3 a 0, nos pênaltis) Inglaterra 1 x 0 Equador Portugal 1 x 0 Holanda Brasil 3 x 0 Gana França 3 x 1 Espanha

Quartas-de-final

Alemanha 1 x 1 Argentina (Alemanha 4 a 2, nos pênaltis) Itália 3 x 0 Ucrânia Inglaterra 0 x 0 Portugal (Portugal 3 a 1, nos pênaltis) Brasil 0 x 1 França

Semifinais

Alemanha 0 x 2 Itália Portugal 0 x 1 França

Disputa pelo 3o lugar

Alemanha 3 x 1 Portugal

Final

Itália 1 x 1 França (Itália 5 a 3, nos pênaltis)