Irlanda volta a restringir voos devido a cinzas vulcânicas

Avião partindo de Glasgow
Image caption A nuvem causou um caos aéreo na Europa em abril

A Autoridade de Aviação da Irlanda (IAA, na sigla em inglês) suspendeu a saída e chegada de todos os voos do país durante seis horas nesta terça-feira por causa dos possíveis riscos provocados por uma nova nuvem de cinzas vulcânicas vinda da Islândia.

As restrições, que afetam a República da Irlanda e a Irlanda do Norte, passarão a vigorar a partir das 7h de terça-feira (3h de Brasília) até 13h (9h em Brasília).

Elas não afetarão aviões que sobrevoam o espaço aéreo irlandês rumo a outros destinos, já que as cinzas se encontram a baixas altitudes.

Em um comunicado, a IAA afirmou que “a Irlanda fica na área prevista para concentração de cinzas” que ultrapassa os níveis aceitáveis.

Segundo a agência, a decisão foi tomada com base nos riscos à segurança de uma nova nuvem vinda do sul da Islândia.

O escritório de meteorologia da Islândia anunciou, nesta segunda-feira, que uma mudança na direção dos ventos nos últimos dias indicava que a nuvem de cinzas estava se seguindo para o sul e o sudeste do país em direção à Europa, e não na direção norte.

De acordo com a IAA, as restrições serão revisadas na manhã de terça-feira.

O caos aéreo provocado na União Europeia pela erupção do vulcão Eyjafjallajoekull, na Islândia, no mês passado, custou entre 1,5 bilhão e 2,5 bilhões de euros (aproximadamente entre R$ 3,5 bilhões e R$ 5,8 bilhões) às companhias aéreas e às agências de turismo, segundo cálculos preliminares divulgados pela Comissão Europeia (CE), o órgão Executivo do bloco.

Leia mais na BBC Brasil sobre o prejuízo com as cinzas vulcânicas

Notícias relacionadas