Líbano condena 33 por formar grupo inspirado na Al-Qaeda

Campo de Nahr al-Bared durante conflitos de 2007
Image caption Os conflitos duraram semanas e mataram mais de 300 em 2007

A Justiça libanesa condenou nesta quarta-feira 33 homens acusados de formarem um grupo militante inspirado na rede Al-Qaeda a sentenças de até 15 anos de prisão.

Os integrantes do grupo Fatah Al-Islam foram acusados de ser uma ameaça ao Estado por terem criado e integrado a organização armada.

Dos 33 sentenciados, 20 estão presos, incluindo cidadãos do Líbano, sauditas e palestinos. Os outros 13, incluindo a liderança da organização, foram condenados à revelia.

Não se sabe o paradeiro do líder do grupo, Shaker Al-Abssi.

2007

O grupo lutou com forças de segurança libanesas por três meses em 2007, de sua base no maior campo de refugiados do Líbano, o Nahr Al-Bared, no norte do país.

Os conflitos mataram mais de 200 militantes, 170 soldados e quase 50 palestinos. Além disso, a onda de confrontos forçou a retirada de quase 40 mil refugiados palestinos.

Por tradição, o Exército libanês não entra nos campos de refugiados do país, onde vivem cerca de 250 mil palestinos em condições de pobreza.

Segundo um comentarista da BBC, as batalhas foram o pior incidente interno de violência no Líbano desde o fim da guerra civil, em 1990.

Notícias relacionadas