Ao visitar Irã, Brasil 'desafia política externa dos EUA', diz Financial Times

Lula chega à Rússia
Image caption Lula discutirá programa nuclear iraniano com presidente russo

Uma reportagem publicada nesta sexta-feira pelo jornal britânico <i>Financial Times</i> avalia que o Brasil "desafia a política externa dos Estados Unidos" ao tentar mediar um diálogo com o Irã a respeito do programa nuclear iraniano.

O texto, publicado às vésperas da visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à capital iraniana, Teerã, diz que a viagem se tornou o foco de "esforços diplomáticos intensos, em meio à esperança brasileira de encontrar um meio termo na disputa e temores americanos de que ele (Lula) possa complicar os esforços para chegar a uma resolução estabelecendo sanções nas Nações Unidas".

"As autoridades americanas reconhecem que a tentativa brasileira de seguir um caminho diplomático próprio – assim como esforços parecidos de outras 'potências emergentes', como a Turquia – são um novo desafio para a política externa americana", diz o <i>FT</i>.

O embaixador americano no Brasil, Thomas Shannon, disse ao jornal que "à medida que o Brasil se torna mais afirmativo globalmente e começa a afirmar sua influência, vamos trombar com o Brasil em novos temas – como o Irã, o Oriente Médio, o Haiti".

Ainda segundo o jornal, Shannon disse que, embora "positiva de uma maneira geral", esta postura brasileira "está nos desafiando porque significa que temos de repensar a forma como entendemos nosso relacionamento".

O programa nuclear iraniano deve fazer parte da agenda do encontro entre Lula e o presidente russo, Dmitri Medvedev, nesta sexta-feira. Os dois se encontram em Moscou, primeira escala neste giro de Lula pelo exterior.

A Rússia tem relutado em apoiar sanções internacionais contra o regime iraniano.

De outro lado, os EUA pressionam por esse tipo de medida. Na quinta-feira, o governo americano deu vários sinais feira de que espera que a visita de Lula ao Irã, no fim de semana, represente o último passo na busca de diálogo antes da aplicação de medidas duras.

Notícias relacionadas