Atirador mata pelo menos 12 no norte da Inglaterra

Derrick Bird
Image caption A polícia quer determinar os motivos que levaram Bird a disparar

Pelo menos 12 pessoas morreram e 25 ficaram feridas na manhã desta quarta-feira após um homem ter disparado uma arma de fogo, aparentemente de forma aleatória, na região britânica conhecida como Lake District, no noroeste da Inglaterra.

A polícia encontrou o corpo do suspeito pelos crimes, identificado como o taxista Derrick Bird, de 52 anos de idade.

"Posso confirmar que encontramos um corpo em um bosque e acreditamos que ele seja do senhor Bird, junto com uma arma de fogo. Uma identificação formal ocorrerá em breve", disse o porta-voz da polícia Stuart Hyde.

Ele disse que a polícia busca determinar agora as razões que levaram o taxista a disparar os tiros.

O incidente foi o pior na Inglaterra desde 1987, quando Michael Ryan, fanático por armas, matou 16 pessoas na cidade de Hungerford, no condado de Berkshire (sul da Inglaterra).

Armas proibidas

Os disparos ocorreram nas cidades de Whitehaven, Seascale e Egremont.

"Ainda estamos nas primeiras fases de nossa investigação e não conseguimos compreender a motivação por trás disso - ou estabelecer se foi premeditado ou um ataque aleatório", afirmou Stuart Hyde, vice-chefe de polícia do condado de Cumbria, onde o atirador agiu.

"As indicações atuais é de que 12 pessoas morreram, além de Derrick Bird. E várias pessoas (feridas) também estão sendo tratadas no hospital."

"Estamos trabalhando muito para dar apoio às famílias dos envolvidos e estamos concentrados agora em reunir o máximo de provas possível para construir um quadro claro do que aconteceu nesta manhã", acrescentou.

Armas de fogo são ilegais na Grã-Bretanha, e crimes desse tipo são raros no país.

"Queremos entender claramente como ele possuía estas armas, o que aconteceu, o que deu errado e a razão de ele ter decidido usar (estas armas) para atirar nas pessoas", afirmou Hyde.

Usina fechada

Testemunhas disseram que, depois dos primeiros disparos, Bird dirigiu pela cidade de Whitehaven com uma arma para fora da janela do carro, e então seguiu para o sul.

Bird depois abandonou o carro que dirigia, um Citroen Picasso.

Antes de seu corpo ser descoberto, foram mobilizados helicópteros e policiais armados de outras cidades para tentar prendê-lo.

A usina nuclear de Sellafield fechou seus portões como medida de segurança, e os funcionários do turno da tarde receberam instruções para não deixar suas casas. A usina foi reaberta depois.

Bird teria matado um taxista, colega de trabalho, em Whitehaven.

"Não sabemos o que aconteceu, o menino que foi morto era amigo dele. (...) Ele (Bird) era amigo de todo mundo", disse a proprietária de uma companhia de táxis da cidade, Glenda Pears.

Sue Matthews, telefonista da companhia de táxis A2B, de Whitehaven, afirmou que Bird era taxista autônomo e vivia sozinho. Ela o descreveu como "um sujeito quieto".

Notícias relacionadas