Sem Júlio César, Brasil joga último amistoso antes da Copa

Kaká e colegas na chegada à Tanzânia
Image caption Kaká deve jogar apenas o primeiro tempo

O Brasil entra em campo nesta segunda-feira em Dar Es Salaam, na Tanzânia, para jogar o último amistoso antes da Copa do Mundo.

O único jogador que teve sua ausência confirmada até agora é o goleiro Júlio César, que sequer viajou para a Tanzânia. Todos os demais jogadores estão em Dar Es Salaam.

A escalação do time será divulgada na véspera do jogo. Espera-se que Kaká jogue apenas 45 minutos, a exemplo do que aconteceu no amistoso da semana passada, contra o Zimbábue. O zagueiro Juan, que não jogou o amistoso contra o Zimbábue por estar fora de forma, também viajou.

O time que deve entrar em campo nesta segunda-feira é Gomes; Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Felipe Melo, Gilberto Silva, Kaká e Elano; Robinho e Luís Fabiano.

O jogo será realizado no Estádio Nacional, em Dar Es Salaam, às 18h (12h no horário de Brasília).

Júlio César

Júlio César sentiu dores nas costas no amistoso contra o Zimbábue, no último dia 2, e foi substituído aos 25 minutos do primeiro tempo por Gomes, que deve começar jogando contra a Tanzânia. Nos dois dias seguintes, Júlio César sequer compareceu aos treinamentos com bola e ficou fazendo trabalhos físicos.

No sábado, quando o Brasil realizou um treino coletivo em Johanesburgo, o goleiro titular da seleção foi o único que não jogou e deixou o gramado mais cedo. O fisioterapeuta da seleção, Odir de Souza, e o preparador de goleiros, Wendell Ramalho, ficaram com Júlio César na África do Sul para acompanhar a recuperação do goleiro.

A comissão técnica afirma que apesar de o jogador estar afastado do grupo por quase uma semana, ele deve estar pronto para jogar na estreia da Copa do Mundo no dia 15.

Recepção discreta

A recepção dos torcedores e da imprensa à seleção brasileira foi mais discreta do que no Zimbábue. Apenas alguns torcedores compareceram ao hotel da seleção na madrugada de domingo para segunda-feira para receber a seleção. No Zimbábue, na semana passada, dezenas de pessoas compareceram no hotel e fizeram festa na chegada da seleção.

Na imprensa da Tanzânia, o destaque também foi discreto. Se no Zimbábue, Kaká foi a principal foto da capa por dois dias consecutivos (em uma delas apertando a mão do presidente Robert Mugabe), na Tanzânia a seleção não ocupa a manchete.

A edição do jornal The Guardian, de Dar Es Salaam, desta segunda-feira traz uma pequena nota na capa falando sobre o amistoso. A reportagem sobre o jogo está na contracapa do caderno de esporte, e afirma que espera um "passeio" do Brasil.

"A expectativa é de que o Brasil dê um passeio sobre a seleção que é 108ª no mundo", afirma a reportagem do jornal. "Certamente o time que está voltado para a Copa do Mundo não vai manchar sua tranquila preparação perdendo para os novatos da Stars (como é conhecida a seleção da Tanzânia)".

A edição do jornal The Citizen sequer menciona a seleção brasileira na sua capa. O principal destaque esportivo do jornal é a revelação de que o zagueiro Patrick Mtiliga, camisa 23 da Dinamarca na Copa, tem parentes na Tanzânia.

Apesar do destaque discreto na imprensa, a federação de futebol da Tanzânia espera um estádio lotado. Até domingo, ainda havia ingressos à venda. O preço dos ingressos varia entre 30 mil shillings e 200 mil shillings (entre R$ 40 e R$ 260).

Segundo o correspondente da BBC em Dar Es Salaam, a federação e o governo da Tanzânia estipularam que pagariam US$ 6 milhões para realizar o amistoso.

Pouca tradição

Apesar de o futebol ser popular no país, Tanzânia tem pouca tradição no esporte. A seleção local nunca foi a uma Copa do Mundo e se classificou poucas vezes para a Copa da África. O mais longe que a equipe já chegou em torneios internacionais foi a uma semi-final de Copa da África, há 30 anos.

Nas eliminatórias para a Copa do Mundo na África do Sul, a Tanzânia só conseguiu ficar à frente das Ilhas Maurício no seu grupo, que tinha também Camarões e Cabo Verde.

Todos os jogadores atuam em times do país. A seleção é treinada pelo brasileiro Márcio Máximo, que já participou de comissões técnicas de seleções sub-20 do Brasil.

O amistoso contra a Tanzânia é o último do Brasil antes da estreia na Copa do Mundo, na próxima semana, contra a Coreia do Norte.

No domingo, a Coreia do Norte foi derrotada pela Nigéria por 3 a 1 em um jogo que foi marcado por confusão. Dezesseis pessoas ficaram feridas no estádio superlotado em Johanesburgo.

Notícias relacionadas