Com ‘coragem no coração’, Coreia do Norte pode bater Brasil, diz estrela do time

Crianças de Tembisa jogam futebol em campo próximo de onde Coreia do norte treina (foto: Maria Luisa Cavalcanti)
Image caption Coreia do Norte mantém mistério nos treinos na África do Sul (foto: Maria Luisa Cavalcanti)

A maior estrela da seleção da Coreia do Norte, o atacante Jong Tae-se, disse nesta terça-feira em Johanesburgo que sua equipe pode derrotar o Brasil, surpreendendo o mundo como ocorreu na Copa de 1966.

Naquele mundial, os norte-coreanos eliminaram a Itália e deixaram a Copa apenas nas quartas-de-final, quando perderam de virada para Portugal.

"Todo mundo diz que a gente não pode ganhar do Brasil. Mas podemos sim. Nossa mentalidade é como a dos alemães. Temos coragem no coração e no espírito", afirmou Jong, em uma rápida entrevista antes do treino desta terça-feira, o primeiro aberto à imprensa desde que a Coreia do Norte desembarcou na África do Sul, há uma semana.

Os nortes-coreanos são o primeiro adversário do Brasil, no dia 15, no estádio Ellis Park, em Johanesburgo.

Jong se diz preocupado, mas também "feliz" em enfrentar a seleção pentacampeã.

"Eu sempre admirei os jogadores brasileiros, sempre sonhei em jogar contra eles, principalmente Kaká e Robinho", afirmou o atacante, que joga pelo Kawasaki Frontale, do Japão, e é conhecido como o "Rooney da Ásia".

"Eu fico feliz de ser chamado assim, mas tenho que lembrar que vou enfrentar Drogba e os brasileiros."

Mistério

Image caption Jornalistas tem pouco acesso a equipe da Coreia do Norte

A Coreia do Norte tem sido a seleção mais "misteriosa" desta fase preparatória para o Mundial da África do Sul.

Todos os treinos no estádio Makhulong, naregiãode Tembisa, a nordeste de Johanesburgo, vêm sendo cercados por um forte esquema de segurança, que também se repetiu nesta terça-feira.

Os jogadores chegaram em um ônibus com as cortinas fechadas, seguidos por carros 4x4 com seguranças armados.

Apenas Jong foi autorizado a falar com jornalistas credenciados, mas sempre acompanhado por um assessor de imprensa.

Depois disso, fotógrafos e equipes de TV puderam assistir a 15 minutos de treino.

Perguntado sobre o sigilo em torno de sua equipe, o atacante disse se tratar de uma questão de segurança.

"Sei que a Coreia do Norte é um mistério para muita gente. Mas nós vamos mudar a imagem da Coreia do Norte", afirmou.

Notícias relacionadas