Pichador suíço é condenado a três chibatadas em Cingapura

Oliver Fricker, o pichador suíço condenado a chibatadas em Cingapura (arquivo)
Image caption Advogado de Fricker afirmou que vai entrar com recurso

A Justiça de Cingapura condenou um suíço a cinco meses de prisão e três chibatadas pela pichação de um trem.

O condenado, Oliver Fricker, um consultor de informática de 32 anos, admitiu ter invadido uma estação ferroviária para cometer o ato de vandalismo – ação considerada "grave violação" das normas de segurança locais pelo juiz responsável pelo caso, See Kee Oon.

Para execução da pena a legislação do país prevê a aplicação de golpes na região das costas com uma vara de madeira, punição que pode deixar cicatrizes permanentes.

A Anistia Internacional condenou a sentença, que qualificou de "bárbara".

Justificativas

O juiz Oon alega que o suíço agiu com premeditação, "estava totalmente consciente da natureza criminosa do ato e deve estar preparado para enfrentar suas consequências".

As autoridades locais agora estão à procura de outro acusado de participação no episódio, o britânico Lloyd Dane Alexander.

Fricker foi preso em 25 de março, oito dias depois do incidente e dois antes antes da volta prevista para a Suíça, rumo a um novo emprego.

Segundo a promotoria, os homens escreveram em dois vagões do trem as palavras McKoy e Banos, assinatura de pichações realizadas em outros países. Não está claro, porém, se o suíço e o britânico também seriam responsáveis pelas infrações no exterior ou apenas imitaram o trabalho de outros.

Em Cingapura, vandalismo é punido com multa equivalente a até R$ 2,6 mil ou até três anos de prisão, mais um total de três a oito chibatadas.