Turquia proíbe avião militar israelense de atravessar seu espaço aéreo

Manifestação contra Israel na Turquia
Image caption Ataque contra frota de barcos provocou a ira do governo e do povo turcos

A Turquia negou a um avião militar israelense permissão para voar em seu espaço aéreo.

A medida teria sido em represália ao ataque promovido por forças israelenses contra uma frota de barcos que levava ajuda humanitária a Gaza no final de maio.

O primeiro-ministro da Turquia confirmou que uma proibição havia sido implementada após o ataque, no dia 31 de maio. Nove cidadãos turcos que viajavam nos barcos morreram.

Não está claro, no entanto, se mais de um avião israelense teria sido afetado pela medida.

Oficiais israelenses disseram que o voo em questão transportava militares à Polônia para uma visita ao ex-campo de concentração de Auschwitz.

O avião não teve permissão de cruzar o espaço aéreo turco e foi forçado a fazer uma rota alternativa.

Antes de cada voo, aviões militares são obrigados a obter permissão para sobrevoar outros países.

A notícia de que um avião militar de carga israelense, transportando mais de cem oficiais para Auschwitz, teria sido banido do espaço aéreo turco, foi vista primeiro no jornal israelense Yediot Ahronot.

Durante uma reunião do G20 (grupo das principais economias avançadas e em desenvolvimento) em Toronto, no Canadá, um jornalista perguntou ao primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, se a proibição estava relacionada ao ataque contra a frota de barcos.

"Iniciamos a proibição após esses eventos", confirmou Erdogan - informou a agência de notícias turca Anatolia.

Outros oficiais turcos, no entanto, disseram que a proibição foi um caso único e não uma proibição generalizada a aviões militares israelenses.

Não houve qualquer anúncio oficial sobre o assunto pelo governo turco.

Voos civis não foram afetados.

Notícias relacionadas