Em silêncio e abalada, seleção brasileira volta para casa após eliminação

Jogadores da seleção brasileira embarcam em ônibus em Porto Elizabeth (foto: Reuters)
Image caption Jogadores da seleção brasileira embarcam em ônibus em Porto Elizabeth (foto: Reuters)

A seleção brasileira deixou Johanesburgo neste sábado em voo fretado rumo ao Brasil, após a eliminação da Copa do Mundo, sofrida no dia anterior.

Mantendo a mesma postura isolada desde o começo da preparação para a Copa, os jogadores deixaram a África do Sul sem falar com torcedores ou jornalistas.

Ao longo dos 36 dias de preparação para a Copa na África do Sul, o Brasil evitou o contato com torcedores, restringiu o acesso dos jornalistas aos jogadores e à comissão técnica, e se manteve praticamente o tempo todo concentrada em hotéis. A mesma reclusão foi usada ao deixar o país neste sábado.

A CBF ainda não confirmou a situação de Dunga, que só tinha compromisso com a seleção até o final da Copa, mas o treinador deve mesmo deixar a seleção e até falou em tom de despedida logo após a derrota brasileira para a Holanda.

O presidente da entidade, Ricardo Teixeira, deve tratar do assunto a partir da próxima semana. Ele foi um dos poucos da CBF que ficou em Johanesburgo. Na próxima quinta-feira, a entidade lançará a logomarca da Copa de 2014, com presença do presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, e várias autoridades da Fifa.

Em agosto, a seleção brasileira realizará um amistoso nos Estados Unidos e existe a expectativa de que a equipe já tenha um novo treinador até lá.

Tristeza

No sábado, a seleção amanheceu ainda em Porto Elizabeth, palco da derrota por 2 a 1 para a Holanda. A CBF informou que muitos jogadores não conseguiram dormir direito, ainda abalados com a eliminação.

Ao se encontrarem no saguão do hotel, de manhã cedo, os jogadores evitaram comentar sobre a partida entre si, mas o assunto era inevitável.

"Juan, aquela bola do primeiro gol saiu de uma falta curta. A gente treinou tanto isso", lamentou-se o goleiro Júlio César em conversa com o zagueiro da Roma e com Gilberto e Elano, segundo informou a CBF. "Cheguei a pensar que faríamos o segundo gol. Mas logo vi que o time tinha sentido demais o gol, que se abateu no campo."

No jantar da noite anterior, o goleiro rompeu o silêncio na sala e liderou uma homenagem do grupo ao técnico Dunga.

Na saída do hotel em Porto Elizabeth, na tarde deste sábado, os jogadores e a comissão técnica foram aplaudidos pelos funcionários do hotel.

Eles seguiram para Johanesburgo, onde aguardaram por cerca de duas horas até embarcarem no voo para o Brasil.

Notícias relacionadas