Goleiro Bruno, do Flamengo, se entrega para a polícia

Image caption Ordem de prisão prevê detenção do goleiro por até cinco dias

O goleiro Bruno Fernandes, do Flamengo, se entregou nesta quarta-feira à polícia no Rio de Janeiro após uma ordem de prisão temporária ter sido decretada contra ele, acusado de envolvimento no desaparecimento de Eliza Samudio.

Bruno e um amigo - Luiz Henrique Romão, apelidado de Macarrão, que também se entregou - foram transferidos para a Divisão de Homicídios, na zona oeste da cidade.

A ordem de prisão temporária, que prevê a detenção do goleiro por até cinco dias, foi decretada após o depoimento de um menor encontrado pela polícia na casa de Bruno na terça-feira.

O garoto confessou ter ajudado Macarrão a sequestrar Eliza e afirmou que a mulher foi morta depois de ser mantida presa por um dia no sítio do goleiro em Minas Gerais.

Nos próximos dias, a polícia planeja levar Bruno, Macarrão e o menor para uma acareação no local. O goleiro, que vinha negando envolvimento no caso, não deu declarações à imprensa nesta quarta-feira.

O caso

Em outubro do ano passado, Eliza Samudio registrou queixa de sequestro e agressão contra o atleta, afirmando que ele a obrigou a tomar uma bebida com substâncias abortivas.

Há cerca de duas semanas, a polícia começou a investigar o desaparecimento da mulher após receber uma denúncia anônima.

De acordo com amigas, Eliza entrou em contato com conhecidos pela última vez no início de junho, quando disse que iria a Minas Gerais para se encontrar com Bruno.

No dia 6, o carro do goleiro recebeu multas por excesso de velocidade perto do sítio do jogador, no município de Esmeraldas. Exames de perícia concluíram que amostras de sangue encontradas no interior do veículo eram de Eliza.

No dia 26 de junho, o bebê de Eliza - que ela dizia ser filho de Bruno - foi encontrado em uma favela na cidade mineira de Contagem. A criança está com o avô materno, mas a mãe de Eliza disputa a guarda do bebê.

Flamengo

No final da tarde desta quarta-feira, o Flamengo divulgou uma nota oficial em que afirma que vai manter Bruno afastado do clube e diz ter formado uma comissão de juristas para examinar a situação do jogador.

Recentemente outros atletas do Flamengo se envolveram em polêmicas. O atacante Vágner Love prestou esclarecimentos à polícia após o vazamento de um vídeo com imagens suas ao lado de traficantes armados.

Já o também atacante Adriano, que defendia o clube até maio, testemunhou por duas vezes em uma investigação a respeito do tráfico de drogas na favela da Vila Cruzeiro, onde mantém uma casa.

Uma briga de Adriano com a namorada também levou o goleiro Bruno às páginas dos jornais no último mês de março.

Na ocasião, ao defender o amigo e colega do Flamengo, o jogador fez uma declaração polêmica ao perguntar "quem nunca saiu na mão com uma mulher". No dia seguinte, diante da repercussão negativa, Bruno pediu desculpas pela frase.