Juíza federal pode decidir sobre lei de imigração do Arizona

Imagem de um vídeo da polícia do Arizona que mostra como aplicar a nova lei estadual de imigração
Image caption Polícia do Arizona já está treinando para aplicar nova lei de imigração

Uma juíza federal no Estado americano do Arizona deve decidir nesta quinta-feira sobre a implementação de uma nova lei estadual de imigração que tem causado polêmica nos Estados Unidos.

A polêmica lei de imigração deveria entrar em vigor na próxima semana. A juíza Susan Bolton deve julgar nesta quinta-feira se a implementação da lei será suspensa enquanto o caso é decidido na Justiça.

A nova lei torna crime estadual a presença de imigrantes ilegais e prevê que a polícia do Estado, ao parar alguma pessoa por determinada infração, possa exigir documentos caso considere o suposto infrator suspeito de ser imigrante ilegal.

A lei também exige que estrangeiros carreguem sempre documentos de imigração, mesmo quando são residentes legais no país.

Disputa legal

Desde que foi anunciada, a lei tem sido alvo de polêmica em todo o país. O próprio presidente americano, Barack Obama, já fez várias críticas públicas à lei. Os opositores dizem que a nova lei do Arizona é discriminatória e vai afetar especialmente a população hispânica.

A nova legislação foi aprovada em abril e virou alvo de uma disputa judicial entre o governo federal e o Estado do Arizona.

O departamento de Justiça dos Estados Unidos entrou com um processo contra a lei, afirmando que ela é inconstitucional já que decisões sobre imigração caberiam ao governo federal, e não aos Estados.

Políticos do Arizona dizem que foram obrigados a criar a lei, já que a legislação federal não dá conta dos problemas do Estado, que é o maior ponto de entrada de imigrantes ilegais nos Estados Unidos.

Apesar das críticas do governo federal e de grupos de direitos humanos, pesquisas de opinião mostram que a maioria dos americanos é a favor da lei. A polícia do Estado do Arizona já começou a ser treinada para aplicar a nova legislação.

A juíza Susan Bolton ouvirá os argumentos contra e a favor da lei em um tribunal na cidade de Phoenix às 9h (13h no horário de Brasília).

Notícias relacionadas