Fluminense diz que Muricy não irá comandar seleção

O técnico do Fluminense, Muricy Ramalho, durante treino nesta sexta-feira (AP, 23 de julho)
Image caption Clube carioca diz que técnico deve ficar no comando do time até 2012

O Fluminense afirmou nesta sexta-feira que Muricy Ramalho não deverá assumir o cargo de técnico da seleção brasileira de futebol, no mesmo dia em que o treinador foi convidado para assumir o posto pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Em uma coletiva na tarde desta sexta-feira, o presidente do Fluminense, Roberto Horcades, afirmou que o treinador permanecerá no clube cumprindo seu contrato de trabalho, o que pode obrigar a CBF a procurar um novo nome para comandar o grupo.

“É com muito orgulho e respeito que estou aqui para informar a todos que o técnico Muricy Ramalho irá continuar à frente do Fluminense para cumprir o seu compromisso conosco. Pessoas do nível do Muricy são muito bem-vindas no mundo do futebol”, disse Horcades.

De acordo com o vice-presidente do clube, Alcides Antunes, Muricy teria deixado claro para o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, com quem se reuniu nesta sexta-feira, que tem um compromisso contratual com o Fluminense.

“Eu não sei dizer se o Muricy disse não, mas sei que ele disse que tem compromisso com o Fluminense”, disse Antunes.

A CBF não se pronunciou oficialmente após a coletiva do Fluminense.

Contrato

Também presente na coletiva, o representante da Unimed, patrocinadora do time, afirmou ainda que o técnico do Fluminense – atual líder do Campeonato Brasileiro – deve renovar seu contrato, que vai até o fim do ano, e continuar no comando do grupo até o final 2012.

“Essa semana estivemos juntos do representante do Muricy e deixamos apalavrada a sua renovação até 2012. Ele sempre disse que cumpre seus compromissos e assim o fará”, disse.

O anúncio é um balde d’água fria nas intenções da CBF, que informou nesta sexta-feira a escolha de Muricy para substituir Dunga no comando da seleção.

Em entrevista à TV Globo, o presidente da CBF havia dado como certa a ida do técnico para a equipe.

"Ele (Muricy) concordou com o projeto, e a gente acredita que essa renovação (da seleção) será paulatina, para que não haja qualquer tipo de precipitação. Mas o objetivo é (a Copa do Mundo do Brasil, em) 2014. Tenho a certeza de que ele pode fazer esse trabalho que a gente pretende fazer até lá", disse Ricardo Teixeira.

Carreira

Eleito o melhor técnico do Campeonato Brasileiro entre 2005 e 2008, Muricy viu sua carreira chegar ao auge com o tricampeonato à frente do São Paulo (2006, 2007 e 2008), depois de ter sido vice com o Internacional em 2005.

Muricy também foi jogador do São Paulo entre 1973 e 1979. Conhecido por seu talento e vasta cabeleira, ele atuava no meio de campo e marcou 26 gols em 177 jogos com a camisa do tricolor paulista.

Ele chegou a ser cotado para jogar na Seleção na Copa da Argentina, em 1978, como reserva do titular Zico, mas foi frustrado por uma lesão no joelho.

Muricy encerrou a carreira de jogador no México, atuando pelo Puebla até 1985.

Como técnico, começou como auxiliar de Telê Santana, no São Paulo. O primeiro título veio com o bicampeonato pernambucano pelo Náutico em 2001/2002.

No ano seguinte, foi campeão gaúcho pelo Inter. Em 2004, levou o São Caetano à conquista do Paulistão. Em 2005, venceu mais um estadual, dessa vez pelo Inter.

Em 2006 deu início à campanha do tri brasileiro pelo São Paulo, sequência que só foi interrompida com o quinto lugar pelo Palmeiras no ano passado.

Muricy também treinou o Guarani (1997), o Ituano (1999), o Botafogo-SP (1999) e o Santa Cruz (2000). No exterior, trabalhou no Shangai Shenhua, da China, em 1993, e no Puebla (1993).

Notícias relacionadas