BP inicia operação para tentar selar definitivamente poço avariado

Navios trabalham nas proximidades de poço danificado no Golfo do México nesta terça-feira (Getty Images, 3 de agosto)
Image caption Acidente causou vazamento de 4,9 milhões de barris de óleo

A petroleira britânica BP anunciou nesta terça-feira ter iniciado uma operação para tentar selar definitivamente o poço de Macondo, no Golfo do México, que foi danificado pela explosão de uma plataforma em abril, fazendo com que milhões de barris de petróleo vazassem no oceano.

O processo terá início com a injeção de uma lama especialmente formulada dentro do poço, em uma tentativa de empurrar o óleo de volta ao subsolo.

Depois deste processo, que pode durar cerca de dois dias e meio, a empresa tentará então selar a parte de cima do poço com cimento.

“O objetivo destes procedimentos é o de auxiliar na estratégia de selar e isolar o poço, o que complementará a operação (de abertura) de um poço auxiliar”, disse a companhia por meio de um comunicado.

O vazamento de óleo no Golfo do México teve início no dia 20 de abril, após uma explosão na plataforma Deepwater Horizon, operada pela BP, que deixou 11 trabalhadores mortos.

Números

Na última segunda-feira, o governo dos Estados Unidos divulgou novos dados sobre o vazamento que se mostraram piores que as estimativas anteriores.

O governo americano estima que cerca de 4,9 milhões de barris de óleo vazaram do poço antes que a BP conseguisse instalar um dispositivo que interrompeu o vazamento, no mês passado.

Deste total, cerca de 800 mil barris foram recolhidos.

Segundo os novos dados, o desastre ambiental do Golfo do México é o maior vazamento acidental de petróleo da história.

As informações serão cruciais para calcular o impacto ambiental do acidente, assim como as indenizações a serem pagas pela BP.

Leia também na BBC Brasil: Vazamento despejou 4,9 milhões de barris de petróleo no Golfo

Poço auxiliar

Segundo o funcionário do governo dos Estados Unidos responsável pela resposta ao vazamento, Thad Allen, os trabalhos para a construção de um poço auxiliar vão continuar.

O poço auxiliar está sendo cavado a cerca de 30 metros do poço danificado. Os dois poços devem se encontrar entre 11 e 15 de agosto.

Quando isso acontecer, os engenheiros irão bombear cimento pelo poço auxiliar até o fundo do poço danificado, em uma tentativa de solucionar o problema definitivamente.

Na semana passada, a companhia petroleira anunciou ter tido um prejuízo de US$ 17 bilhões no segundo trimestre do ano, uma das maiores perdas da história corporativa da Grã-Bretanha.

Só para cobrir os custos relativos à operação de limpeza do Golfo do México, a empresa reservou mais de US$ 32 bilhões.

Notícias relacionadas