Exército mexicano mata 27 em suposto campo de treinamento do tráfico

Militares mexicanos fazem patrulha próximo a rancho onde ocorreu conflito (Reuters, 2 de setembro)
Image caption Este foi o terceiro campo de treinamento desmantelado na região

O Exército mexicano matou 27 suspeitos de fazerem parte de um cartel de narcotraficantes durante uma ação em um campo de treinamento situado entre Ciudad Mier e Monterrey, divisa entre os Estados de Tamaulipas e Nuevo León, na última quinta-feira.

Dois militares ficaram feridos na operação, afirmam fontes do Ministério da Defesa.

De acordo com as fontes, o campo de treinamento, situado em um rancho, foi localizado por meio de reconhecimento aéreo. Uma patrulha militar que se aproximou do local foi recebida com tiros de fuzil.

A fonte afirmou que três pessoas sequestradas se encontravam no rancho. Ali foram apreendidas 23 armas de grande porte, 532 cartuchos, 19 veículos e drogas.

Todos os mortos faziam parte do grupo de supostos criminosos, embora não se tenha identificado a qual organização eles pertenciam.

O incidente ocorreu horas depois de o presidente mexicano, Felipe Calderón, ter divulgado uma mensagem cujo tema central foi um pedido para combater a insegurança no país.

“Enfrentamos criminosos sem escrúpulos, com um enorme poder econômico e um grande poder de fogo”, disse Calderón.

Recrutamento forçado

Este foi o terceiro campo de treinamento de narcotraficantes desmantelado pelo Exército neste ano no nordeste do México.

Em abril, militares localizaram um acampamento do cartel Los Zetas em Camargo, Estado de Tamaulipas, próximo da fronteira com os Estados Unidos.

Em maio, foi desmantelado outro campo no município de Higuera, Estado de Nuevo León.

O ministro da Marinha, Francisco Saynez, disse que os cartéis do narcotráfico fazem o recrutamento forçado de pessoas, obrigando-as a combater por eles.

Muitos dos sequestrados pelos cartéis são imigrantes sem documentação da América Central, como ocorreu com a recente chacina de 72 pessoas em Tamaulipas, cometida aparentemente por um grupo ligado ao Los Zetas.

De acordo com o ministro da Fazenda, Ernesto Cordero, a onda de violência no país já custou o equivalente a 1,2% do PIB (Produto Interno Bruto), ou cerca de US$ 11 bilhões (R$ 18,7 bilhões).

Desde 2006, quando o governo intensificou a luta contra os cartéis do tráfico, mais de 28 mil pessoas morreram, segundo dados oficiais.

Notícias relacionadas