Milhares protestam na França contra deportação de ciganos

Milhares foram a atos em Paris e outras 130 cidades na França
Image caption Milhares foram a atos em Paris e outras 130 cidades na França

Manifestantes protestaram neste sábado em Paris e outras 130 cidades da França contra a política do governo de deportar ciganos do país.

A polícia estima que 12 mil pessoas compareceram ao ato em Paris. Os organizadores dizem que quase 50 mil pessoas estiveram na passeata.

No mês passado, o governo francês deportou cerca de mil ciganos para Romênia e Bulgária.

As manifestações foram apoiadas pelo Partido Socialista (de oposição ao governo) e pela CGT, a segunda maior central sindical do país.

Em um discurso para os manifestantes, a atriz Jane Birkin disse que cabia ao povo francês a defesa dos direitos do povo "roma", como são conhecidos os ciganos romenos e búlgaros na França.

"Nós estamos empurrando para longe pessoas que já tem um histórico de serem empurradas", disse a atriz em seu discurso.

Pascal Nakache, presidente da Liga de Direitos Humanos, participou de uma marcha na cidade de Toulouse.

"Há um número grande de pessoas, além dos mesmos militantes de sempre, que estão chocadas e querem mostrar sua perplexidade e contrariedade à essa política xenófoba e incendiária", disse ele.

Em Barcelona, na Espanha, e Bruxelas, na Bélgica, alguns manifestantes reuniram-se em frente à embaixada francesa para protestar.

Críticas

A política de deportar ciganos, anunciada pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy, em julho, foi criticada dentro e fora da França, inclusive pelo Vaticano e pelas Nações Unidas. No entanto, pesquisas de opinião afirmam que 65% dos franceses apoiam a decisão do governo.

Sarkozy também foi criticado por integrantes do seu governo. O primeiro-ministro, François Fillon, disse não gostar da associação que se faz entre estrangeiros e criminosos. O ministro das Relações Exteriores, Bernard Kouchner, disse que estava considerando renunciar ao cargo.

A medida foi tomada depois de uma série de incidentes violentos com ciganos, que tinham a polícia francesa como alvo.

Em julho, uma série de confrontos ocorreu em Grenoble, depois que a polícia matou um suposto assaltante em um tiroteio.

No dia seguinte, dezenas de ciganos atacaram a delegacia de polícia da cidade de Saint Aignan. A polícia da cidade havia matado um cigano que se recusara a parar em um posto de checagem.

Notícias relacionadas