Irã anuncia libertação de americana detida por espionagem

Americanos cruzaram a fronteira do país durante caminhada
Image caption Bauer, Shourd e Fattal foram detidos em julho de 2009

O governo do Irã disse nesta quinta-feira que deve libertar no sábado um dos três americanos que foram detidos em julho de 2009 sob acusação de espionagem, depois que cruzaram a fronteira do país em uma caminhada.

Uma autoridade iraniana na Organização das Nações Unidas (ONU) informou que Sarah Shourd, de 31 anos, será a prisioneira libertada, sem especificar o motivo da soltura.

A informação foi passada através de um email enviado à imprensa.

Shourd foi detida em julho de 2009, junto com Shane Bauer, 27 anos, e Josh Fattal, 27, por autoridades iranianas após entrarem no país vindos do Iraque. Shourd disse à sua mãe que está sofrendo de problemas de saúde.

Em uma mensagem de celular enviada a repórteres, o Ministério da Cultura e da Orientação Islâmica do país informou anteriormente que a soltura de um dos prisioneiros ocorrerá em um hotel no norte de Teerã, no sábado, às 9h locais (1h30 em Brasília), mas não especificou qual dos três seria libertado.

Trekking

Segundo familiares, os americanos realizavam trekking na região quando entraram acidentalmente no país persa, por meio de uma zona de fronteira não demarcada.

O governo de Teerã alega que os detidos entraram no país ilegalmente e que os três têm ligações com os serviços de inteligência dos Estados Unidos.

De acordo com a correspondente da BBC em Washington Kim Ghattas, não foi esclarecido o motivo da libertação neste momento, mas há alguns rumores em Teerã de que as autoridades iranianas estariam aproveitando um feriado religioso muçulmano, o Eid El Fitr, que marca o fim do jejum do Ramadã.

Mas, segundo Ghattas, a libertação de Sarah Shourd também poderia ser uma tentativa de diminuir as críticas internacionais depois da sentença de morte por apedrejamento contra a iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani, que foi suspensa, embora seu caso continue sendo analisado e ela ainda possa ser executada.

Os americanos estão detidos na prisão de Evin, na capital iraniana, mas ainda não foram formalmente acusados e as autoridades iranianas ainda não esclareceram a razão de os dois continuarem presos.

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, pediu publicamente ao governo do Irã que solte os três.

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, deu a entender anteriormente que poderia fazer um acordo com os Estados Unidos para soltar os americanos, mas, de acordo com o analista da BBC especializado em assuntos iranianos Jon Leyne, não há informações claras sobre negociações firmes entre os dois países sobre o assunto.

Notícias relacionadas