Promotor do Irã diz que país cancelou libertação de americana

Americanos cruzaram a fronteira do país durante caminhada
Image caption Bauer, Shourd e Fattal foram detidos em julho de 2009

Um promotor do Irã anunciou nesta sexta-feira que a libertação de um dos três americanos detidos em julho de 2009 sob acusação de espionagem, que seria neste sábado, foi cancelada.

"Como os procedimentos legais relativos ao caso da cidadã americana já citada não foram completados, a libertação dela, que foi informada em algumas páginas na internet, foi cancelada", disse o promotor Abbas Jafari Dolatabadi, de acordo com a Ilna.

Shourd, 31 anos, foi detida no Irã em julho de 2009 juntamente com Shane Bauer, 27 anos, e Josh Fattal, 27 anos, quando faziam uma caminhada na região da fronteira entre Irã e Iraque. Os três foram acusados de praticar espionagem.

Na quinta-feira, vários sites relataram que um dos três seria libertado no sábado, para coincidir com o feriado religioso muçulmano do Eid El Fitr, que marca o fim do jejum do Ramadã.

Uma cerimônia estava marcada para a manhã de sábado com a participação de algumas autoridades, quando a libertação ocorreria.

"As informações publicadas não foram confirmadas pelo Judiciário", afirmou o promotor nesta sexta-feira. "Está claro que qualquer decisão que diz respeito a acusada mencionada será tomada depois que os procedimentos legais forem completos", acrescentou.

Dolatabadi não definiu nenhuma outra data para a libertação de Sarah Shourd e também não falou sobre os outros dois americanos detidos.

Trekking

Segundo familiares, os americanos realizavam trekking na região quando entraram acidentalmente no país persa, por meio de uma zona de fronteira não demarcada.

O governo de Teerã alega que os detidos entraram no país ilegalmente e que os três têm ligações com os serviços de inteligência dos Estados Unidos.

Os americanos estão detidos na prisão de Evin, na capital iraniana, mas ainda não foram formalmente acusados e as autoridades iranianas ainda não esclareceram a razão de os dois continuarem presos.

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, pediu publicamente ao governo do Irã que solte os três. Sarah Shourd já disse à sua mãe que está sofrendo de problemas de saúde.

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, deu a entender anteriormente que poderia fazer um acordo com os Estados Unidos para soltar os americanos, mas, de acordo com o analista da BBC especializado em assuntos iranianos Jon Leyne, não há informações claras sobre negociações firmes entre os dois países sobre o assunto.

Notícias relacionadas