Clinton diz estar 'confiante' após nova rodada de negociações de paz

Hillary Clinton no aeroporto de Amã, Jordânia (AFP/Getty)
Image caption Clinton disse que Netanyahu e Abbas já discutem os pontos mais complicados

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, encerrou nesta quinta-feira o último dos três dias de negociações entre israelenses e palestinos com um encontro com o presidente palestino, Mahmoud Abbas em Ramallah, na Cisjordânia.

Nenhum dos dois líderes falou após o encontro, mas já na Jordânia, Clinton declarou estar confiante de que tanto Abbas como o premiê israelense, Binyamin Netanyahu podem "tomar as decisões difíceis para resolver todos os principais pontos dentro de um ano".

"Eles estão comprometidos. Já começaram a lidar com as questões difíceis, mas necessárias."

Assentamentos

De acordo com o jornal israelense Haaretz, Clinton teria manifestado-se a favor da ampliação da proibição de construções em assentamentos judaicos na Cisjordânia em uma entrevista ao canal de TV local Channel 10.

O governo israelense congelou por dez meses, até o dia 26 de setembro, as ampliações nos assentamentos construídos em áreas que os palestinos querem usar para a seu futuro Estado.

"(No ponto) onde estamos agora, seria útil (ter) alguma extensão (do prazo), seria extremamente útil", afirmou a secretária de Estado americana.

Clinton até sugeriu que esta extensão do prazo poderia ser por um tempo limitado.

"Não acho que uma extensão limitada prejudicaria o processo se houver uma decisão acordada pelos dois lados", disse.

Fronteiras

O presidente egípcio, Hosni Mubarak, também pediu que Israel estenda o prazo no congelamento parcial de construção em assentamentos na Cisjordânia.

Em comentários transmitidos pela Rádio Israel, Mubarak afirmou que pediu ao premiê Netanyahu que conceda outros três meses de congelamento, para permitir que as negociações tenham resultado.

Até o momento Israel tem se recusado a prolongar a restrição.

O gabinete de Netanyahu informou que o premiê mantém sua posição de não prolongar o congelamento, mas, recentemente, Netanyahu indicou que seriam impostos limites às construções.

Cerca de meio milhão de judeus vivem em mais de cem assentamentos construídos desde 1967, quando Israel ocupou a Cisjordânia e o leste de Jerusalém. A legislação internacional considera estes assentamentos ilegais, mas Israel contesta isto.

Depois da reunião em Ramallah, Clinton viajou para a Jordânia, para uma reunião com o Rei Abdullah. A Jordânia já assinou um tratado de paz com Israel e o rei Abdullah participou da retomada das negociações de paz entre israelenses e palestinos, em Washington, no começo de setembro.

Enquanto Clinton visita a Jordânia, o enviado dos Estados Unidos para o Oriente Médio, George Mitchell, deve se reunir com o presidente sírio, Bashar al-Assad, em Damasco, em um esforço para retomar as negociações de paz entre israelenses e sírios. Em seguida, Mitchell deve visitar o Líbano.

Notícias relacionadas

Links de internet relacionados

A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos de internet