Polícia britânica diz que suspeitos de tramar contra o papa 'não eram ameaça'

Pontífice usa papamóvel em rua de Londres (Reuters, 17 de setembro de 2010)
Image caption Segurança para visita do papa custou cerca de 1 milhão de libras

Fontes da polícia britânica ouvidas pela BBC afirmaram que os seis homens presos na última sexta-feira por suposto envolvimento em um plano contra o papa Bento 16, que está visitando a Grã-Bretanha, na verdade não representavam ameaça ao pontífice.

Os seis suspeitos – que trabalham em uma empresa responsável pela limpeza das ruas da região central de Londres – foram interrrogados pela polícia e buscas foram feitas sem que nada de significativo fosse encontrado contra eles.

Segundo investigadores da unidade antiterrorismo da polícia britânica, os suspeitos não representam “ameaça crível” à vida do pontífice.

Os seis homens – que em sua maioria seriam de origem argelina – foram libertados na noite deste sábado.

Prisões

Cinco dos suspeitos foram presos em uma operação armada na manhã de sexta-feira. Outro foi detido logo depois, no início da tarde.

Leia mais na BBC Brasil: Polícia britânica prende seis por suposta ameaça contra visita do papa

As prisões teriam ocorrido após uma testemunha ter ouvido o grupo supostamente discutir um plano contra o papa na cantina da empresa em que trabalham.

Segundo informações divulgadas pelo jornal britânico Sunday Mirror, no entanto, os homens estariam apenas “brincando” durante a conversa.

A polícia, no entanto, se recusou a confirmar que o suposto plano contra o pontífice, que cumpre visita de Estado de quatro dias à Grã-Bretanha, não passava de brincadeira.

As autoridades policiais afirmam que tinham de investigar o que poderia ser uma ameaça real contra o papa.

Policiais da Inglaterra e da Escócia passaram meses planejando a operação de segurança para a visita do papa à Grã-Bretanha.

A operação de segurança incluiu avaliação de ameaças, medidas para segurança durante movimentação do papa e a necessidade potencial de controle de multidões.

No total, a conta da operação de segurança pode chegar a 1 milhão de libras (quase R$ 2,7 milhões).

Notícias relacionadas