Obama diz que recessão ainda afeta milhões de americanos

Obama foi questionado sobre a crise econômica. Foto: Getty Images
Image caption Obama disse recuperação da economia vai demorar mais que o esperado

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta segunda-feira que, apesar de ter sido considerada oficialmente encerrada no ano passado, a recessão no país continua a afetar milhões de americanos.

“Apesar de economistas dizerem que a recessão terminou oficialmente no ano passado, obviamente, para as milhões de pessoas ainda sem emprego, pessoas que viram o valor de suas casas cair, pessoas que estão lutando para pagar as contas dia após dia, (a recessão) ainda é muito real”, disse o presidente, em um encontro com cidadãos transmitido pela TV.

Um relatório divulgado nesta segunda-feira pelo National Bureau of Economic Research, organização dedicada a pesquisas sobre a economia americana, diz que a recessão no país durou 18 meses, até junho de 2009.

De acordo com o documento, a recessão foi a maior nos Estados Unidos desde a Segunda Guerra Mundial.

Segundo Obama, a recuperação vai levar mais tempo do que o esperado, já que os problemas na economia foram criados ao longo de vários anos.

“O que temos de fazer agora é reverter (o problema), mas algo que levou dez anos para ser criado vai levar um pouco mais de tempo para ser solucionado”, disse o presidente.

Início

Em seu relatório, a organização afirma que junho de 2009 marcou apenas o início da recuperação.

“O comitê (responsável pelo relatório) não concluiu que as condições econômicas desde aquele mês tenham sido favoráveis ou que a economia tenha voltado a operar em sua capacidade normal”, diz o documento.

O relatório afirma que os dois outros longos períodos de recessão atravessados pelos Estados Unidos após a Segunda Guerra Mundial, de 1973 a 1975 e de 1981 a 1982, duraram 16 meses cada.

Além dos resultados relativos ao PIB (Produto Interno Bruto), a análise leva em conta dados relacionados a renda, produção industrial e comércio.

Crescimento e desemprego

Um outro relatório, divulgado nesta segunda-feira pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), rebaixou a previsão de crescimento para a economia americana em 2010 de 3,2% para 2,6%.

A OCDE também prevê que a taxa de desemprego vai permanecer alta até 2013.

A taxa de desemprego chegou a 10%, e atualmente é de 9,6%.

Desde o início da recessão, mais de 8 milhões de americanos perderam seus empregos.

No debate transmitido pela TV, uma pessoa perguntou a Obama se o sonho americano havia morrido.

“De maneira alguma”, disse o presidente. “Não há um país no mundo que não gostaria de trocar de lugar conosco.”

Notícias relacionadas