Dilma deve vencer eleições 'na aba de Lula', diz 'Washington Post'

Cartaz da campanha de Dilma Rousseff
Image caption Lula está constantemente presente na campanha, diz Washington Post

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, deve vencer as eleições presidenciais neste domingo graças ao carisma e apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, afirma reportagem do jornal americano Washington Post nesta quinta-feira.

Com título “Na aba do popular presidente brasileiro, ex-radical deve ganhar”, o jornal lembra que, apesar de não ser candidato à reeleição, Lula está constantemente presente na campanha eleitoral, prestando seu apoio à Dilma.

“Com 80% de aprovação depois de oito anos no governo, o ex-líder sindical gordinho e barbudo que exala carisma está em toda a parte, virtualmente garantindo a vitória de sua sucessora escolhida a dedo, Dilma Rousseff.”

Mas o jornal comenta que, apesar do apoio de Lula, Dilma não tem o apelo popular que é a marca registrada do presidente.

Também nesta quinta-feira, o diário espanhol El Mundo traz uma série de reportagens sobre a reta final da campanha.

Em uma delas, o jornal compara a trajetória de Dilma e da candidata do Partido Verde, Marina Silva, lembrando que Dilma tem, em comum com Lula, a militância de esquerda, enquanto que Marina divide com o presidente a origem humilde.

Em outro artigo, o diário espanhol ressalta que nem Dilma, nem o candidato tucano José Serra, seu principal opositor, apresentaram suas plataformas ao Tribunal Superior Eleitoral antes das eleições, afirmando que “se não está escrito, não há por que cumpri-lo”.

'The Guardian'

O jornal britânico The Guardian traz um artigo assinado pelo analista internacional Raul Zibechi, afirmando que “só a mágica de Lula explica a ascensão de Dilma”.

Segundo o comentário, “o último milagre do torneiro mecânico que se tornou presidente do Brasil em 2003 foi passar sua enorme popularidade para uma mulher quase desconhecida chamada Dilma Rousseff”.

Zibechi lembra que, quando a candidatura de Dilma foi anunciada, em outubro de 2008, apenas 8,4% dos eleitores pretendiam votar nela. Hoje, a expectativa é de que a candidata vença já no primeiro turno.

Ele destaca os sucessos do governo Lula, como a estabilidade econômica e o fato de o presidente ter tirado milhões de pessoas da pobreza.

“Mas a contabilidade dos oito anos de Lula também deve reconhecer as fraquezas em um país que aspira o status de potência global”, diz o artigo, afirmando que a primeira é o fato de a economia se basear fortemente na exportação de commodities sem valor agregado, e a segunda é que, apesar do crescimento e do bom desempenho econômico, o Brasil permanece um dos países mais desiguais do mundo.

'Le Monde'

Na França, o jornal Le Monde destaca os candidatos inusitados dessas eleições, como Tiririca, que deve ser o candidato a deputado federal mais votado.

“No Brasil, o voto é obrigatório. É impossível se abster para manifestar o descontentamento. Enviar um palhaço ao Parlamento é um belo meio de protestar contra o sistema”, afirma o diário.

O Le Monde ainda destaca as candidaturas de Bebeto, Romário, Andréia Schwartz – a ex-garota de programa que provocou a queda do governador de Nova York Eliot Spitzer -, a Mulher Melão e a ex-prostituta Gabriela Leite, que fez campanha de prevenção à Aids.

Notícias relacionadas