Políticos filipinos querem punir quem cantar hino no ritmo errado

A Câmara dos Representantes nas Filipinas aprovou um projeto de lei que criminaliza apresentações "impróprias" do hino nacional do país.

A lei, que é bastante precisa, prevê multa de mais de US$ 2 mil e até dois anos de prisão para os infratores.

Também há penalidades para o uso ou exposição imprópria da bandeira nacional.

A nova lei estabelece que o hino deve ser cantado em ritmo de marcha e a uma velocidade (andamento) entre 100 e 120 batidas por minuto.

E quando ele for tocado em público e em cinemas, todos os cidadãos deverão se levantar e cantar com fervor, em sinal de respeito.

Os artistas que forem gravar suas versões do hino também terão que fazê-lo direito. Vários artistas foram criticados por cantar o hino muito devagar ou com a batida errada, ou por acrescentar toques pessoais às suas versões.

Já a recente versão gravada pela pop star filipina Charice Pempengco foi tida como aceitável pelo Instituto Nacional de História do país.

Notícias relacionadas