Premiê britânico defende cortes para ajustar economia

David Cameron
Image caption Cameron reafirmou que tropas britânicas deixarão o Afeganistão

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, David Cameron, defendeu nesta quarta-feira os cortes de gastos que sua administração deve em breve anunciar, afirmando que não há outra alternativa responsável para lidar com a economia após a crise global.

"Gostaria que existisse outra maneira, um jeito mais fácil. Mas deixem-me dizer: não há outra forma responsável", disse ele durante seu primeiro discurso no congresso anual do Partido Conservador desde que chegou ao poder.

"Muitos departamentos do governo vão ter seus orçamentos reduzidos, em 25% em média, ao longo de quatro anos. Isso significa um corte anual de 7%."

Segundo Cameron, os anos de austeridade gerarão "recompensas que vão ser sentidas por todos em nosso país".

A coalizão de conservadores e liberais democratas que governa a Grã-Bretanha está tendo que administrar um déficit público de 154,7 bilhões de libras (cerca de R$ 411 bilhões), o terceiro maior do mundo.

União

Buscando um tom mais positivo, o premiê disse desejar uma "Grã-Bretanha que crê em si mesma" e pediu para que o país "se uma" para encarar os desafios.

"O seu país precisa de você", disse, citando um slogan usado durante a Segunda Guerra Mundial e pedindo para que os britânicos iniciem negócios e ingressem em grupos de ação social.

Ele pediu também para que os bancos abram mais linhas de crédito para auxiliar as pequenas empresas.

Cameron defendeu o corte planejado do auxílio dado para as famílias mais ricas para ajudar a criar seus filhos afirmando ser justo pedir isso para os que podem "suportar um peso maior".

Ele ainda reafirmou que as tropas britânicas devem sair do Afeganistão até 2015.

Leia também na BBC Brasil: Governo britânico anuncia cortes em subsídios para famílias com filhos

Notícias relacionadas