América Latina

Poço no Chile começa a ser revestido para retirada dos mineiros

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

Engenheiros começaram neste domingo a revestir parte do poço aberto na mina San José, no norte do Chile, em preparação para o resgate dos 33 mineiros presos no seu interior há 66 dias.

Segundo o ministro da Mineração do Chile, Laurence Golborne, o trabalho de revestimento com tubos metálicos, como medida de precaução para evitar o fechamento do poço, deve ser terminado na manhã da segunda-feira.

Após uma análise do poço de 622 metros de profundidade, com 66 centímetros de diâmetro, as autoridades determinaram o revestimento dos primeiros 96 metros.

Serão usados 16 tubos de 6 metros de altura cada um, soldados entre si.

“A área de maior risco de desmoronamento é a parte superior, entre os 30 e 50 metros, então decidimos revestir 96 metros”, afirmou Golborne.

O poço será usado para baixar ao interior da mina a cápsula Phoenix, que retirará os mineiros, um a um, numa operação que pode levar dois dias.

Segundo Golborne, os primeiros mineiros devem começar a ser retirados na quarta-feira. “Esperamos que até a sexta-feira estejam todos fora”, afirmou.

Atendimento médico

Os primeiros mineiros a serem retirados serão os mais hábeis e em forma, que podem ser capazes de resolver eventuais problemas com a cápsula em suas primeiras viagens.

Em seguida, serão retirados os mineiros mais fracos para só então concluir o resgate com os mineiros mais fortes.

Um médico baixará ao interior da mina para avaliar o estado dos mineiros e ajudá-los a entrar na cápsula de resgate.

A retirada de cada um dos mineiros deve levar mais de uma hora. Ao sair, cada um receberá óculos escuros especiais para proteger os olhos da claridade após mais de dois meses na semi-escuridão.

Eles passarão então por uma avaliação médica antes de serem transportados, de helicóptero, para um hospital de Copiapó, a cidade mais próxima.

Eles devem receber uma alimentação especial para a subida, seguindo os conselhos de especialistas da Nasa, a agência espacial americana, que supervisionam o resgate.

Calma e alegria

Familiar de mineiro preso chora após fim da perfuração de poço

Choro marcou celebração pelo fim da perfuração do poço

A definição da data da retirada dos mineiros levou calma e alegria aos familiares que estão acampados na entrada da mina desde o acidente que os deixou presos, no dia 5 de agosto.

Abraços e choro marcaram as celebrações pelo fim das perfurações no chamado Plano B, uma das três máquinas que tentavam abrir caminho para o resgate dos mineiros.

O Plano A foi interrompido após a abertura do poço, no sábado de manhã, mas uma segunda máquina, do Plano C, ainda continua seus trabalhos como alternativa em caso de problemas com o buraco já aberto.

“Foram dias terríveis, intermináveis. Mas hoje (sábado) foi uma alegria muito grande”, afirmou à BBC Lilian Ramírez, mulher do mineiro Mario Gómez.

Debaixo da terra, os mineiros presos também celebraram. Mas segundo o ministro da Saúde, Jaime Mañalich, “a ansiedade está subindo entre eles”.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.