Serra diz aceitar derrota com 'humildade' e que 'luta continua'

José Serra abraça a filha Verônica
Image caption Segundo Serra, oposição consolidou 'campo político' nesta eleição

Candidato derrotado na disputa à Presidência, José Serra (PSDB) disse na noite deste domingo que aceita com "respeito e humildade" a vitória de sua adversária Dilma Rousseff (PT), mas que agora começa "a luta de verdade".

"Hoje os eleitores falaram, e recebemos com respeito e humildade a voz do povo. Quero cumprimentar Dilma Rousseff e desejar que faça bem para o país", afirmou Serra no comitê central da sua campanha, no centro de São Paulo.

"Para os que nos imaginam derrotados, apenas estamos começando a luta de verdade", acrescentou o tucano.

"A luta continua, viva o Brasil", completou Serra, que encerrou seu pronunciamento recitando os últimos versos do Hino Nacional.

Vitórias estaduais

Serra estava acompanhado pelo governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin, pelo atual governador do Estado, Alberto Goldman, pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, pelo presidente do PSDB, Sérgio Guerra, pelo presidente do DEM, Rodrigo Maia, por Roberto Freire, presidente do PPS, e por outras lideranças dos três partidos.

Em seu discurso, Serra se disse orgulhoso pelos votos recebidos (43,7 milhões, 44% dos votos válidos) e exaltou o desempenho da oposição nas disputas estaduais – o PSDB elegeu oito governadores neste pleito, e o DEM, dois.

O tucano também agradeceu com veemência Geraldo Alckmin, dizendo que o aliado se empenhou mais na campanha presidencial do que na disputa pelo governo do Estado, e afirmou que sua despedida não é um "adeus, mas um até logo".

"Vocês (eleitores) nos deram uma vitória estratégica. Construímos uma fortaleza, consolidamos um campo político", afirmou o tucano, segundo quem a oposição se empenhará na "defesa da democracia e da liberdade no Brasil".

Notícias relacionadas