BBC pede desculpas a Band Aid por reportagem sobre desvio de dinheiro

A reportagem foi ao ar em março deste ano no programa Assignment.
Image caption Dinheiro da instituição criada por Bob Geldof teria sido usado por rebeldes

A BBC pediu desculpas à fundação humanitária Band Aid Trust devido a uma reportagem que afirmava que milhões de libras arrecadadas pela instituição para combater a fome na Etiópia haviam sido desviados para a compra de armas.

A reportagem foi ao ar em março deste ano no programa Assignment, que é transmitido pelo Serviço Mundial da BBC, afirmando que rebeldes etíopes haviam sido os beneficiários do dinheiro.

A reportagem original feita pelo editor do Serviço Mundial da BBC para a África Martin Plaut incluía alegações de que quantias substanciais de ajuda de governos ocidentais e associações de caridade foram parar em áreas comandadas por rebeldes na província de Tigray em 1985, tendo sido usadas para comprar armas.

Embora a reportagem não tenha ligado diretamente a Band Aid ao desvio, outros veículos da BBC sugeriram que o caso envolveria dinheiro da instituição.

Liderada por Bob Geldof, a Band Aid surgiu de uma reunião de vários músicos famosos em 1984, que gravaram a canção Do They Know It’s Christmas. O dinheiro arrecadadado pela venda do single foi revertido para as vítimas da fome na Etiópia.

A iniciativa levou à realização, em 1985, dos concertos Live Aid, que foram transmitidos mundialmente via satélite e cuja arrecadação também foi destinada aos etíopes.

Queixa e inquérito

Em uma queixa encaminhada à BBC, a fundação Band Aid disse que o programa e a cobertura subsequente feita por outros veículos da emissora, incluindo a rádio Radio 4, o canal BBC News e o site da BBC News, passaram a impressão de que a maior parte do dinheiro arrecadado pela instituição havia sido desviado.

Depois de um inquérito, a BBC concluiu que não havia provas do desvio de dinheiro arrecadado pela Band Aid ou pelo Live Aid.

A BBC disse que se desculpou incondicionalmente pela "impressão errônea e injusta" que foi criada.

A empresa também pediu desculpas a Bob Geldof, que é curador da Band Aid, por sugerir que ele se negou a ser entrevistado sobre o caso "porque ele achava o assunto muito delicado para ser discutido abertamente."

'Raro lapso de critérios'

Em resposta ao pedido de desculpas da BBC, Geldof disse: "este foi um raro lapso de critérios cometido pela emissora e, em particular, pelo Serviço Mundial."

"Foram as reportagens feitas por Michael Buerk para a BBC na Etiópia que me levaram a agir e criar o Band Aid em primeiro lugar, e eu reconheço o importante papel jornalístico e humanitário que a BBC tem cumprido em nossa história”, disse o músico.

"Nós recebemos bem as desculpas da BBC e esperamos que essas correções públicas possam começar a reparar alguns dos horríveis danos causados, e ir em frente", afirmou Geldof.

Em um comunicado, a BBC disse que se arrepende do erro e admite que "deveria ter sido mais explícita em deixar claro que as alegações não eram especificamente relativas à Band Aid."

"O Assignment não fez a alegação de que a ajuda dada pela Band Aid foi desviada. No entanto, a BBC reconhece que esta impressão pode ter sido dada pelo programa", disse a empresa.

"Nós também reconhecemos que algumas das chamadas relacionadas à reportagem reforçaram esta percepção”, afirma a BBC.

"Nós destacamos que a decisão valida o principal mote jornalístico do programa: que havia evidência de algumas fontes de que a Frente de Libertação do Povo de Tigray desviou dinheiro destinado para combater a fome e que parte disto foi gasto em armas."

As desculpas irão ao ar em todos os veículos que publicaram as alegações.