Ataque em mesquita mata pelo menos 50 no Paquistão

Feridos no atentado levados ao hospital de Peshawar
Image caption Feridos foram levados para hospitais próximos do vilarejo

Pelo menos 50 pessoas morreram e outras cem ficaram feridas nesta sexta-feira depois de um ataque suicida contra uma mesquita no noroeste do Paquistão, de acordo com autoridades locais.

O teto da mesquita sunita do vilarejo de Akhurwal, cerca de 45 km ao sul da cidade de Peshawar, desabou após a explosão. A expectativa é de que o número de mortos ainda aumente.

O ataque ocorreu durante as tradicionais orações muçulmanas de sexta-feira em uma região onde militantes islâmicos costumam agir. Segundo uma autoridade do governo paquistanês, mais de cem pessoas estavam na mesquita na hora da explosão e alguns ficaram presos debaixo dos escombros.

De acordo com depoimentos de testemunhas à BBC, o suicida chegou a pé e explodiu seu dispositivo na entrada principal da mesquita, no momento em que os fiéis saíam do local, depois das orações.

Entre as vítimas estão várias crianças, de acordo com funcionários do hospital Lady Reading, de Peshawar.

Ainda não se sabe qual grupo é o responsável pelo ataque, o último em uma série de explosões em mesquitas. O Talebã paquistanês assumiu a responsabilidade por ataques deste tipo no passado e ainda é ativo na região.

Em um outro ataque, pelo menos outras três pessoas devido à explosão dentro de uma mesquita perto da cidade de Peshawar

Alvo

Image caption O ataque desta sexta-feira é o mais grave desde o início de setembro

De acordo como correspondente da BBC em Islamabad Haroon Rashid, o presidente paquistanês Asif Ali Zardari, condenou o ataque em Akhurwal e prometeu continuar o combate aos militantes que estão no país.

O ataque desta sexta-feira é o mais grave no Paquistão desde o ataque contra uma manifestação de muçulmanos xiitas em Quetta, que matou pelo menos 50 pessoas no começo de setembro.

Em outubro 25 pessoas morreram em uma explosão em outro templo, na província paquistanesa do Punjab (leste paquistanês).

Outro ataque, contra um santuário em Karachi (sul do país), matou nove pessoas e o Talebã assumiu a responsabilidade por esta explosão.

Suspeita-se que o alvo do ataque desta sexta-feira pode ter sido um ancião de uma tribo que incentivou os moradores da região a ficar contra o Talebã. Ainda não se sabe se ele estava entre as vítimas.

Os feridos foram levados para hospitais da região.

A região do atentado serviu como base para militantes islâmicos em seus ataques contra comboios de suprimentos da Otan, que mantém uma ofensiva contra os militantes no vizinho Afeganistão.

Notícias relacionadas