Obama visita hotel em Mumbai e discursa contra o terrorismo

Obama na Índia
Image caption Obama visitou, ao lado de sua mulher, museu dedicado a Mahatma Ghandi

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, discursou neste sábado diante do hotel Taj Mahal Palace, em Mumbai (Índia), palco de uma ação terrorista em 2008 que deixou mais de 170 mortos e 300 feridos.

Obama afirmou que sua decisão de começar sua visita oficial à Índia na cidade teve como objetivo enviar uma "mensagem". "Mumbai é o símbolo da incrível energia e otimismo que definem a Índia do século 21", disse o presidente. "Desde aqueles dias terríveis, dois anos atrás, o Taj tem sido um símbolo de força e resistência do povo indiano."

"Nós fizemos esta visita aqui para enviar uma mensagem clara de que, na nossa determinação de dar aos nossos povos um futuro de segurança e prosperidade, os Estados Unidos e a Índia estão unidos."

Obama disse ter visitado, ao lado de primeira-dama, Michelle, um memorial em homenagem às vítimas do atentado de 2008, além de ter se encontrado com sobreviventes e familiares dos mortos. "Nós nunca esqueceremos as terríveis imagens do 26/11, incluindo as chamas saindo desta hotel que iluminaram o céu durante a noite."

Economia

A viagem de Obama à Ásia tem um forte cunho econômico. Além da Índia, o giro presidencial incluirá Indonésia, Coreia do Sul e Japão, num esforço de fortalecer lações comerciais e aumentar as exportações dos Estados Unidos. Em Seul (Coreia do Sul), o presidente americano participará na próxima semana da reunião de líderes do G20, na qual também estarão o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente eleita Dilma Rousseff.

Antes de viajar, Obama referiu-se à sua intenção de dobrar as exportações americanas à Índia, mercado ainda pouco explorado pelos Estados Unidos, em comparação com regiões como China ou a União Europeia.

O governo indiano disse esperar que a visita melhore ainda mais as relações entre os dois países, em várias áreas. Estão esperados vários anúncios de cooperação entre os dois governos, especialmente em áreas como comércio e segurança.

Barack Obama realiza o giro pela Ásia dias depois de sofrer uma amarga derrota nas eleições parlamentares americanas, em que seu partido, o Democrata, perdeu o controle da Câmara dos Representantes.

Os democratas conseguiram manter o controle do Senado, mas o presidente terá agora de negociar com a oposição republicana a aprovação de medidas no Congresso.