Alemanha diz que detonador encontrado em avião era 'teste de segurança'

Image caption Ministro Thomas de Maiziere disse que detonador era imitação para testes

Autoridades da Alemanha afirmaram nesta sexta-feira que o detonador encontrado em um avião que iria de Windhoek, na Namíbia, para o país europeu era um dispositivo falso para testar a segurança nos aeroportos.

Especialistas que examinaram a mala com o detonador não encontraram explosivos e determinaram que a imitação funcionava como um teste. O detonador falso estava conectado a um relógio.

A mala foi encontrada no aeroporto de Windhoek, pouco antes de ser despachada para um voo que iria a Munique, na Alemanha. Em seguida, uma inspeção com raio-x revelou baterias conectadas por fios a um "detonador" e a um relógio.

A notícia provocou preocupação em países europeus e quase 300 passageiros tiveram que deixar o voo para serem novamente revistados pela equipe de segurança do aeroporto. O voo atrasou seis horas.

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, o ministro alemão do Interior, Thomas de Maiziere, disse que a mala com o detonador falso foi feita por uma empresa americana, que produz alarmes e sistemas de detecção.

O ministro não disse quem planejou o teste de segurança, mas declarou que agentes alemães seguem investigando o caso.

Questionado se o teste de segurança poderia ter sido plantado por agentes da própria Alemanha, Maiziere disse que era “improvável, mas parte da investigação”.

“O mais importante é que não havia explosivos na mala e que não havia nenhum perigo aos passageiros”, agregou o ministro.

‘Severo’

O correspondente da BBC em Berlim, Steve Evans, diz que as declarações de Maiziere levantaram diversas questões.

Entre elas, a de quem seria o responsável pelo artefato e porque sua presença não foi comunicada às autoridades.

A polícia da Namíbia disse que dará tratamento “severo” aos envolvidos no episódio e afirmou que os governos do país, dos EUA e da Alemanha não tinham conhecimento prévio da mala.

“Queremos que as pessoas de más intenções saibam que não deixaremos que a Namíbia seja usada como local de testes por ninguém”, declarou o inspetor-geral da força, Sebastian Haitota Ndeitunga.

O incidente no aeroporto namibiano ocorreu poucas horas depois de a Alemanha ter elevado seu alerta de ameaças terroristas, alegando ter recebido informações de um país não especificado advertindo para um possível ataque no fim de novembro.

Notícias relacionadas