Bélgica detém suspeitos de envolvimento em plano de ataque

Promotores federais da Bélgica informaram nesta terça-feira que dez pessoas, descritas como muçulmanos, foram presas em três países europeus sob suspeita de planejarem um ataque no país.

Os detidos são belgas, holandeses, marroquinos e russos e as prisões foram feitas em operações de buscas da polícia na cidade de Antuérpia, na Bélgica, na Holanda e na Alemanha.

De acordo com a agência de notícias AP, dez casas foram revistadas nos três países na manhã desta terça-feira.

Parte dos detidos é suspeita de atuar no recrutamento de um grupo extremista checheno.

Um ano de investigação

As autoridades belgas informaram que a investigação que levou às prisões começou no final de 2009 e já levou a prisões na Espanha, Marrocos e na Arábia Saudita.

A porta-voz dos promotores belgas informou que a polícia investigou o suposto plano de ataque à Bélgica e um suposto grupo de recrutadores e responsáveis por levantar fundos para um grupo militante checheno chamado "Emirado do Cáucaso".

Ainda não está totalmente claro se este nome é uma referência aos grupos de militantes radicais que lutam para implantar um Estado islâmico na região do norte do Cáucaso, na Rússia.

Os detidos nas operações, descritos como um "grupo terrorista internacional", deverão comparecer a uma audiência em Antuérpia ainda nesta terça-feira.

A Bélgica já processou outras pessoas por ajudar grupos militantes islâmicos.

Em maio, por exemplo, uma mulher nascida no Marrocos foi condenada a oito anos de prisão por liderar um grupo que recrutava militantes para lutar no Afeganistão.

Em 2003, um homem recrutado como suicida da Al-Qaeda foi condenado a dez anos de prisão por planejar explodir uma base militar que abrigava soldados americanos.

Notícias relacionadas