Cabral pede permanência de militares até outubro de 2011

Soldado no Alemão. Foto: AFP
Image caption Militares devem permanecer no Complexo do Alemão

O governo do Rio de Janeiro formalizou nesta terça-feira um pedido ao Ministério da Defesa para que as Forças Armadas permaneçam atuando no Estado até outubro de 2011.

O pedido foi feito pelo governador Sérgio Cabral que, em entrevista à rádio CBN, afirmou que a medida permitirá que a "polícia possa continuar fazendo o trabalho de inteligência".

O prazo, maior do que o previsto inicialmente, foi adotado "por precaução", segundo Cabral, que disse ainda que o período será usado para formar policiais para atuar em Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) no Complexo do Alemão e na favela de Vila Cruzeiro.

Na segunda-feira, Cabral havia dito que solicitaria a presença de pelo menos 2 mil militares para as operações de pacificação do Complexo do Alemão.

UPP

Cabral inaugurou nesta terça-feira a 13ª UPP do Estado, na favela do Morro dos Macacos, localizada em Vila Isabel, zona norte da capital fluminense.

A comunidade foi ocupada no último dia 10 de outubro pelo Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope). Em 17 de outubro de 2009, traficantes derrubaram um helicóptero da PM na localidade, matando dois policiais.

Cabral e o secretário de Segurança Pública do Estado, José Mariano Beltrame, participaram da inauguração da UPP do Morro dos Macacos, na qual trabalharão 228 homens recém-formados pela PM.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Rio, a nova unidade beneficiará diretamente os 12 mil moradores do Morro dos Macacos, além das 15 mil pessoas que habitam a comunidade do Pau da Bandeira e o Parque Vila Isabel.

Cabral afirmou que o projeto da UPP será levado posteriormente ao Morro São João (Engenho Novo), com a instalação de bases avançadas nas comunidades da Matriz e do Queto.

Notícias relacionadas