Nova UPP é inaugurada no Morro dos Macacos, no Rio

Unidade do Morro dos Macacos é a 13ª do Estado. Foto: AFP
Image caption No Morro do Alemão, escolas municipais voltaram a funcionar.

O governo do Rio de Janeiro inaugurou nesta terça-feira a 13ª Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Estado, na favela do Morro dos Macacos, localizada em Vila Isabel, zona norte da capital fluminense.

A comunidade foi ocupada no último dia 10 de outubro pelo Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope). Em 17 de outubro de 2009, traficantes derrubaram um helicóptero da PM na localidade, matando dois policiais.

O governador do Rio, Sérgio Cabral, e o secretário de Segurança Pública do Estado, José Mariano Beltrame, participaram da inauguração da UPP do Morro dos Macacos, na qual trabalharão 228 homens recém-formados pela PM.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Rio, a nova unidade beneficiará diretamente os 12 mil moradores do Morro dos Macacos, além das 15 mil pessoas que habitam a comunidade do Pau da Bandeira e o Parque Vila Isabel.

Cabral afirmou que o projeto da UPP será levado posteriormente ao Morro São João (Engenho Novo), com a instalação de bases avançadas nas comunidades da Matriz e do Queto.

Patrulha no Alemão

As forças de segurança - compostas por policiais militares, civis e integrantes das Forças Armadas - continuam realizando o patrulhamento dos acessos ao Complexo do Alemão, também na zona norte do Rio.

As escolas da rede municipal voltaram a funcionar nesta terça-feira na comunidade e o comércio local funciona normalmente.

O governador do Rio disse nesta terça-feira à rádio CBN que já pediu a prorrogação da presença das Forças Armadas no patrulhamento do Complexo do Alemão até outubro de 2011.

Cooperação internacional

Nessa segunda-feira, o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, anunciou um plano de cooperação internacional, envolvendo Peru e Bolívia, para combater o narcotráfico na América do Sul.

De acordo com Barreto, o governo já conversou com representantes da Argentina e do Paraguai. Em seguida, haverá reuniões com Peru, Colômbia, Venezuela e Uruguai.

Segundo o ministro, a ideia é garantir a integração no combate ao tráfico de drogas e armas nas regiões de fronteira.

Notícias relacionadas